Chico Rosa, o engenheiro com cinco títulos de F1 no currículo

Veja a entrevista de Livio Oricchio com o engenheiro que ajudou a projetar a carreira dos pilotos Emerson Fittipaldi, José Carlos Pace e Nelson Piquet

• por

Francisco Castejon de Couto Rosa, o Chico Rosa, é um engenheiro paulista de 77 anos que teve grande importância na carreira de sucesso de três dos maiores pilotos brasileiros: Emerson Fittipaldi, José Carlos Pace e Nelson Piquet. Tem nada menos de cinco títulos mundiais no currículo de assistente, na realidade um “faz tudo” fora das pistas para esses profissionais.

No fim dos anos 50, começou a frequentar o autódromo de Interlagos. Na década de 60, a paixão, competência e formação acadêmica em engenharia levaram Chico Rosa a ser importante integrante das equipes formadas pelas montadoras de automóveis, como a Willys, naquele automobilismo que começava a crescer no Brasil.

Chico Rosa vivia em contato frequente com os pilotos. Em 1968, passou a incentivar Emerson a tentar correr no exterior. Emerson embarcou para a Inglaterra no começo de 1969 sem nada nas mãos, a não ser uma pequena verba de patrocínio.

Saiba +: Livio Oricchio entrevista Sérgio Sette Câmara
Saiba +: Livio Oricchio entrevista Bird Clemente

Chico Rosa, o engenheiros por trás dos grandes pilotos brasileiros

Lá, ele e Chico Rosa tiveram de montar um esquema para disputar a Fórmula Ford Inglesa, como alugar um carro, contratar um mecânico, comprar uma velha camionete e encontrar um lugar para morar.

Essas foram algumas das atribuições de Chico. “Dividia um quarto em uma pensão em Londres, perto de Wimbledon, a umas dez quadras da oficina onde mantínhamos o carro de Fórmula Ford”, diz.

Emerson fez sucesso de cara, ao vencer no primeiro ano a Fórmula Ford e a F3. Colin Chapman, fundador da lendária Lotus, o contratou. Isso permitiu a Emerson dispor da estrutura que não tinha até então.

Como consequência, Chico Rosa passou a cuidar dos interesses de outro piloto brasileiro que estava para ir a Europa, José Carlos Pace. Pace também foi campeão na F3, em 1970, tendo sempre Chico do seu lado, como fizera Emerson que naquele ano estreara na F1. E já na quarta corrida venceu, com Lotus, seu primeiro GP, nos Estados Unidos.

Nelson Piquet: amizade das pista para a vida

O próximo da lista viria se tornar também um grande amigo de Chico, Nelson Piquet. Juntos percorreram a Europa, em 1977, e em 1978 Piquet conquistou o Britânico de F3, estreando também na F1.

As conquistas de Emerson fizeram com que Bernie Ecclestone, promotor do show, levasse a F1 para o Brasil no início dos anos 70. Ecclestone se hospedava na casa da família de Chico Rosa, em São Paulo. Foi Chico que disse a Ecclestone que tinha um piloto pronto para ele, Piquet. O dirigente inglês era dono da equipe Brabham de F1. Piquet correu na Brabham de 1979 a 1985 e ganhou dois campeonatos, 1981 e 1983.

De volta ao Brasil, Chico tornou-se administrador do autódromo de Interlagos, além de cuidar das fazendas da família no interior de São Paulo.

Hoje segue acompanhando tudo o que acontece no mundo do automobilismo com o mesmo amor à velocidade que o levou, em 1958, a conhecer Interlagos.

Foi para contar um pouco dessa extraordinária experiência que a Youse convidou Chico Rosa para uma agradável conversa nos seus estúdios.