O 5º lugar, neste domingo, e o 2º, sábado, levaram Sérgio à quarta colocação na F2

• por

Le Castellet, França – Com o segundo lugar na primeira corrida do GP da França de F2, sábado, depois de largar na pole, e a quinta colocação na segunda corrida no Circuito Paul Ricard, neste domingo, Sérgio Sette Câmara, único brasileiro na competição, da equipe DAMS, somou 28 pontos. Foi o piloto de melhor retrospecto no fim de semana. Isso ampliou bastante a possibilidade de entrar no bloco dos que devem disputar o título no fim do campeonato.

Essa retomada de rumo na temporada não poderia ter vindo em melhor hora. A prova na França foi a quinta de um calendário com 12, sempre disputada em duas corridas. A F2 tem ainda pela frente 7 etapas, ou 14 corridas. A próxima é já no fim de semana no Circuito Red Bul Ring, em Spielberg, Áustria.

Saiba +: Segundo lugar na França permitiu que Sérgio avançasse muito no campeonato

O piloto patrocinado pela Youse melhorou significativamente sua pontuação em relação aos adversários. No sábado, a pole garantiu a Sérgio 4 pontos. E o segundo lugar, 18. Com o critério de inverter a colocação dos oito primeiros no sábado para definir o grid no domingo, Sérgio largou em sétimo, pois foi segundo na primeira corrida. O vencedor no sábado, o holandês Nyck de Vries, da ART, largou somente em oitavo.

Com uma ultrapassagem sensacional sobre o companheiro na DAMS, o canadense Nicholas Latifi, na veloz curva 11, e a superação do inglês Jordan King, ainda na largada, Sérgio recebeu a bandeirada em quinto.

Também ajudou muito Sérgio o fim de semana ruim dos adversários. Latifi, por exemplo, foi apenas quinto no sábado e sexto no domingo, somando no total 14 pontos. O italiano Luca Ghiotto, da UNI-Virtuosi, a exemplo das duas corridas de Mônaco, em Paul Ricard não marcou pontos.

“O fim de semana aqui na França me deixou ainda mais confiante”.

Sérgio Sette Câmara

A combinação de resultados na França fez com que Sérgio avançasse da sexta colocação, com 52 pontos, para a quarta, com 80. O chinês Guanyu Zhou e seu parceiro na UNI-Virtuosi, Ghiotto, ficaram para trás. Zhou foi quarto e terceiro, somando 22 pontos. E Ghiotto, como mencionado, nenhum.

Outra modificação importante foi na liderança da F2. Até depois do evento no Principado, anterior ao da França, Latifi era o primeiro, com 95 pontos, seguido por Vries, 94.

Mas o holandês venceu no sábado e, apesar de não ter marcado pontos neste domingo, chegou a 121 pontos, enquanto Latifi a 109. O terceiro colocado é o inglês Jack Aitken, da Campos, com 85 pontos, com um terceiro e um quarto lugares no GP da França. Só lembrando, Sérgio aparece logo a seguir, com 80 pontos. A seguir estão Zhou, com 76, e Ghiotto, com os mesmos 67.

“Uma das melhores largadas da minha vida”, diz Sérgio

Confira o depoimento de Sérgio Sette Câmara:

https://www.youtube.com/watch?v=di6u8jHuoHQ

Oi pessoal.

Se as palavras são capazes de repassar os sentimentos de quem escreve, então vocês vão perceber que vou embarcar daqui a pouco aqui do Circuito Paul Ricard para a sede da minha equipe, em Le Mans, bem contente. E olha que um fim de semana de competição é cansativo e a viagem é longa.

Mas com o TGV, o trem bala francês, de velocidade de cruzeiro semelhante a nossa máxima na F2, 300 km/h, chegamos rápido. O time inteiro está voltando para casa no trem bala. É mais rápido do que ir a Marselha, voar até Paris e depois dirigir duas horas até Le Mans.

Neste domingo, dei uma das minhas melhores largadas na carreira, o oposto de ontem, quando perdi a liderança e provavelmente a vitória por não ter largado bem da pole position. Hoje as coisas funcionaram com perfeição, eu e o nosso equipamento.

Mas você bem sabe que o ritmo dos carros e pilotos na F2 é bem parecido. Por esse motivo investimos tanto em largar o mais à frente possível. Veja o caso desta segunda prova aqui na França. O bom piloto francês Anthoine Hubert (equipe Arden) largou em primeiro, por ter sido oitavo no sábado, e venceu.

Sérgio Sette Câmara em entrevista após a corrida na França

O segundo no grid neste domingo, outro estreante na F2, o americano Juan Correa (equipe Sauber Júnior), largou em segundo e recebeu a bandeirada em segundo. Não são pilotos com resultados semelhantes no campeonato. Aproveitaram-se muito bem da chance de largar na frente. O Vries, novo líder do campeonato, vencedor no sábado e oitavo no grid neste domingo, sequer marcou pontos. Ao andar mais para trás na corrida, seus pneus acabaram nas voltas finais.

O mais legal é que eu e o time estamos na curva ascendente de novo, como foi no começo da temporada. Pódio e bons pontos em Mônaco e, aqui na França, pole, pódio e bons pontos também. É isso que funciona na F2. Vou ter de encontrar uma forma de recuperar os pontos perdidos na minha corrida de casa, em Barcelona, quando simplesmente não fomos competitivos, pelo menos o meu carro. Não tinha ritmo nas duas corridas.

Como escrevi, começamos a retomá-lo nas ruas de Monte Carlo e aqui em Paul Ricard demos outro passo para a frente. Essa melhora associada ao meu prazer de pilotar no Circuito Red Bull Ring, na Áustria, me faz trabalhar estes dias, agora, ainda com mais gana na sede da DAMS, no simulador e nas reuniões com os engenheiros.

O Jack (Jack Aitken), terceiro colocado, está somente 5 pontos na minha frente. A meta inicial é entrar entre os três primeiros para depois procurar chegar no Nicholas e no Nyck, segundo e primeiro. Eu me sinto mais confiante agora. Nos falamos lá de Spielberg. Abraços.