F2 2019: “Tenho consciência da importância das corridas aqui”, diz Sérgio

• por

De Spa, Bélgica. Apesar de o objetivo de Sérgio Sette Câmara ser, a esta altura da temporada F2 2019, terminar o campeonato entre os quatro primeiros para obter a supelicença e candidatar-se a competir na F1 em 2020, o piloto da equipe DAMS de F2 disse nesta quinta-feira, no Circuito Spa-Francorchamps, ter consciência da importância da etapa deste fim de semana na Bélgica e da seguinte, em Monza, na Itália, já dias 7 e 8.

Isso porque é nessa época do ano que as negociações entre pilotos e equipes de F1 se aceleram. Nesta quinta-feira, por exemplo, a Mercedes anunciou a renovação do contrato de Valtteri Bottas e a Renault, a contratação do francês Esteban Ocon. Ele não correu este ano, foi piloto de testes da Mercedes. Ocon substituirá o alemão Nico Hulkenberg, que está, agora, sem equipe para 2020. Sabe-se que tem contato avançado com a direção da Haas.

Ao mencionar a importância dos eventos em Spa e Monza, Sérgio, patrocinado pela Youse, deseja dizer que mais importante do que a simples conquista de dois pódios na F2 2019, por exemplo, precisa de performances impactantes. No seu depoimento, apresentado no fim deste texto, ele dá detalhes do seu significado.

Saiba +: Em 3° na F2, Sette Câmara se prepara para reta final do campeonato

Eficiência e coragem na F2 2019

Seria muito bom para as pretensões de Sérgio, por exemplo, tentar ser mais eficiente que o companheiro de equipe, o canadense Nicholas Latifi, 24 anos, até agora melhor colocado na classificação, depois das oito etapas realizadas este ano. Sérgio é o terceiro, com 141 pontos, enquanto Latifi, no seu quarto ano na F2 e na DAMS, 166. O líder da F2 é o holandês Nick de Vries, da ART, com 196.

No paddock da F1 fala-se com frequência cada vez maior que Latifi será piloto da equipe Williams em 2020, como companheiro do inglês George Russell, campeão da F2 no ano passado e piloto da academia da Mercedes. Latifi deverá substituir o polonês Robert Kubica, sem condição física de manter-se na F1, pois pilota usando quase que apenas a mão esquerda. A direita foi seriamente afetada em um acidente numa competição de rali, em 2011.

Em resumo, para Sérgio ter chance de entrar na lista de candidatos das equipes de F1 que terão vaga em 2020, por enquanto somente Alfa Romeo e Toro Rosso, será preciso duas belas demonstrações do seu talento em Spa e Monza pela F2 2019.

O treino livre da F2, em Spa, começa nesta sexta-feira às 8 horas, horário de Brasília.

Para Sérgio, seu rumo em 2020 pode estar sendo definido nos dois próximos fins de semana

Sérgio Sette sobre as próximas provas

O piloto deu o depoimento abaixo para a Youse, nesta quinta-feira, depois das reuniões com os engenheiros da DAMS:

Olá, amigos.

As quatro etapas que ainda temos pela frente no campeonato, oito corridas, por serem duas a cada etapa, são capitais para mim. Elas me dirão se em 2020 sigo na F2 ou tenho alguma chance de realizar o meu sonho inicial, competir na F1.

Mas sei também que nesse nosso meio, o paddock da F1, F2 e F3, pois corremos sempre juntos, você vale muito pelo que fez em um passado recente. Os seus últimos resultados são os que mais contam.

Como agora todos conversam com todos visando o que fazer da vida em 2020, refiro-me a empresários de pilotos e chefes de equipe de F1, sentar para falar com eles, tendo nas mãos uma grande performance no fim de semana, tenha a certeza de que conta muitos pontos.

Agora, uma coisa é você saber disso e outra é executar, por ser o que sempre procuro fazer. Não é a necessidade de melhor impressionar que me levará a fazer uma pole position ou vencer as corridas. A cada GP é o que tento fazer com todas as minhas forças. Mas não há dúvida de que situações como a minha e dos demais pilotos da F2, candidatos em potencial para saltar para a F1, fazem com que encontremos motivação ainda maior para tentar fazer mais.

Os pontos que conquistamos nessas provas são os mesmos, porém o peso deles é bem maior. Lá no nosso íntimo existe alguma coisa que transforma esse estímulo em energia.

No meu caso, os dois circuitos, Spa e Monza, estão dentre os que mais gosto e se encaixam no meu estilo de pilotar, haja vista que tanto em 2017, na modesta MP Motorsport, como em 2018, na Carlin, fui ao pódio nos dois GPs. Em 2017, venci a corrida do domingo. Tenho de, agora, no mínimo, dentro do possível, claro, fazer algo semelhante.

Tivemos dois dias e meio de preparação na sede da DAMS, em Le Mans, esta semana, realmente produtivos. Simulamos as mais distintas condições para o fim de semana e como reagir a cada uma delas. É um exercício de praxe no time, contudo a equipe também se sente mais estimulada para ampliar sua vantagem no campeonato (a DAMS lidera com 307 pontos, seguida da UNI-Virtuosi, 242, e da ART, 202).

Até que o carro esteja na pista e sintamos como está seu acerto para os desafiadores 7.004 metros de Spa não dá para afirmar nada. Se você me perguntar, no entanto, se estou confiante em ter dois grandes fins de semana, a resposta é, sem pensar: muito! Nos falamos amanhã, depois da sessão de classificação para a corrida do sábado. Abraços.