5 coisas que você não sabe sobre Sérgio Sette Câmara

Enquanto Sérgio se prepara para a reta final na F2, confira o papo que batemos sobre o que ele gosta de fazer fora das pistas e quais são seus planos para o futuro

• por

O piloto Sérgio Sette Câmara está na reta final da primeira temporada na F2. Já sabemos que, se ele chegar em quarto lugar no Circuito Yas Marina, que acontece dia 29 de novembro em Abu Dhabi, e ganhar os 30 pontos para somar aos 10 que ganhou na temporada do ano passado, ele consegue a superlicença para poder se tornar um piloto da F1. 

Enquanto isso, o que será que ele faz quando não está em treinamento ou disputando o campeonato? Batemos um papo com ele para saber o que ele faz fora das pistas, como é viajar o mundo como piloto de F2 e quais são seus futuros planos. 

Saiba+| Sérgio Sette Câmara analisa a sua temporada de F2

Saiba+| Sette Câmara testa serviço de carros compartilhados elétricos

1 – E se você não fosse piloto de F2?

Estranho imaginar Sérgio Sette Câmara em outras profissões. Apesar de já ter cursado a faculdade de administração, ele teve que interromper os estudos para se concentrar na carreira de piloto. Mas e os outros esportes? Ele afirma que – por causa da altura dele, de 1,69 cm -, não poderia praticar. 

Jogador de futebol? Talvez. “Sei lá, talvez atacante? Mas, brincadeiras a parte, [se não fosse piloto] eu terminaria a faculdade. Só não terminei porque é exatamente na minha idade que os pilotos começam a investir mais na carreira de piloto”, conta.

Seu tamanho e seu peso influenciam diretamente na performance do carro. Hoje, a F1 exige que pilotos devam pesar, pelo menos, 80 kg caso não queiram utilizar lastro nos carros. Essa medida serve para que pilotos mais altos, e portanto mais pesados, não tenham que se sacrificar tanto para perder peso. 

2 – Como é viajar o mundo todo como piloto de F2?

Barcelona, Monte Carlo, Monza, Sochi… Esses são só alguns dos lugares que Sérgio Sette Câmara já visitou. Mas não pense que é uma rotina tranquila, com tempo para turistar. Ele só vai do aeroporto para o hotel e do hotel para a pista. 

Em época de campeonato a rotina é puxada. Ou seja, apesar de ter visitado muitos lugares, Sérgio revela que, na verdade, é cansativo e às vezes sente falta da rotina. Mas ele sabe que é importante batalhar por suas vitórias. 

3 – Qual o momento mais marcante da sua carreira?

Falando em vitórias, Sérgio Sette Câmara relata que o momento mais marcante de toda a sua carreira foi em 2013, no campeonato internacional de Kart. “Nós já estávamos com uma equipe reduzida porque os resultados não tinham sido bons, mas queria terminar a temporada mesmo assim. Acabei ganhando. Naquele momento eu vi que eu era bom e consegui manter essa autoconfiança”, conta.

4 – Como você comemora as suas vitórias?

Cada piloto tem seu jeito de comemorar as vitórias, e uma das primeiras coisas que Sérgio faz é ligar para o seu pai. “Eu comemoro mais quando aparece uma boa oportunidade para continuar nas próximas temporadas, tipo poder fechar contrato com uma equipe competitiva”, fala. 

Ele diz que o ato de agradecer é um dos seus rituais: ver quanta sorte tem e o quanto valeu a pena todo o esforço para estar ali. Mas até nesses momentos de maior emoção, ele não perde o foco e pensa “que ainda tem muito pela frente”. 

5 – O que planeja para o futuro?

Sérgio Sette Câmara tem muitos planos, inclusive os de seguir os passos de seu maior ídolo, o piloto Ayrton Senna. Representar o Brasil mundo afora e deixar um legado no esporte, como uma academia para jovens pilotos ou ajudar a desenvolver ideias para melhorar a segurança nas corridas são algumas de suas metas. “Quero passar minha experiência e meu aprendizado para a próxima geração”, afirma.