Como fazer ajustes no carro para garantir conforto e segurança

Banco, volante, encosto de cabeça… para quem fica muito tempo dentro do carro, o ajuste desses equipamentos é essencial para viajar numa boa

• por

Para viagem de carro, curta ou longa, o mais importante é manter o conforto e a segurança de todos os ocupantes, né? E não vá pensando que é só colocar aquela playlist que todos gostam e seguir pelas estradas da vida tranquilamente. É preciso regular o possante, também. Inclusive, os carros oferecem diversos tipos de ajustes: desde altura e profundidade do volante, espelhos e bancos, até apoio de braço e lombar. Para evitar aquela dor chata nas costas depois de horas e horas no trânsito, não existe segredo.

Basta estar encaixado no carro corretamente, o que traz mais prazer ao dirigir e, claro, segurança. E para isso, é só seguir algumas regrinhas básicas e respeitar as particularidades do seu corpo.

Saiba +: Conheça as vantagens do Seguro Auto Youse para motoristas de aplicativo

Saiba +: 6 dicas para economizar nas contas do mês

Para ter conforto, é necessário que exista uma boa interação entre o motorista e o carro. “A função da ergonomia é melhorar as condições de uso para o ser humano, visando a qualidade de vida”, afirma Luzianne Sottomaior de Azevedo, fisioterapeuta da Clínica do Atleta do Paraná.

Segundo o Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV), 90% dos acidentes de trânsito são provocados por falhas humanas (#Tenso). De acordo com estudo da organização, os outros 10% estão divididos entre falhas mecânicas e problemas na pista. Assim, o fundador e vice-presidente do Observatório, Mauro Gil Meger, garante que não ajustar o carro corretamente para a condução também colabora para a falha humana. Ou seja, os acidentes podem ser provocados por consumo de álcool, utilização de celular e até pela não realização dos acertos necessários”, explica.

Ainda segundo Meger, o carro é como um calçado: se estiver largo ou apertado, o desconforto é certo. “Da mesma forma que você se preocupa se o sapato está combinando com a roupa e se está no tamanho ideal para o seu pé, no carro você também precisa combinar diversos fatores para ter segurança”. Ótimo comparativo! E para evitar acidentes e, acima de tudo, se sentir confortável na hora de pilotar, a gente separou algumas dicas para você. Confira:

Assento

Muitos carros já possuem ajuste de altura do banco. Use e abuse desses equipamentos

Todos os ajustes são fundamentais, mas a distância correta do assento é muito importante para alcançar os pedais. O correto é deixar a perna semiflexionada ao pisar, com a planta do pé — não a ponta —, no pedal do freio (ou da embreagem, caso o carro seja manual). Em carros mais sofisticados é possível regular o comprimento do assento e isso pode trazer mais conforto para quem tem a perna um pouco mais comprida. Contudo, não encoste o banco na parte de trás do joelho. “Nessa região há nervos e veias que precisam irrigar a perna e essa passagem de sangue não pode ser obstruída, caso contrário, pode acarretar em formigamento. Além disso, o motorista precisa estar com os joelhos livres para mover as pernas com agilidade”, ressalta Luzianne.

Afunde o pé no freio ou na embreagem e, mesmo assim, mantenha a perna semiflexionada para posicionar o banco. Essa é a distância ideal para frear com segurança

Para os baixinhos, muitos carros já vêm equipados com ajuste de altura do assento e isso facilita demais a vida de quem tem menos de 1,70 m. É só tomar cuidado para não deixar o banco muito próximo do volante.

Encosto

O ângulo do encosto do banco deve ficar entre 90° e 120°

“Quem passa muito tempo dirigindo na posição errada pode ser acometido de hérnia lombar e contratura muscular”, diz a fisioterapeuta Luzianne. Por isso, a posição correta do encosto do banco deve dar ao motorista agilidade suficiente para mexer as mãos nas trocas de marcha e virar o volante, além de “encaixá-lo” no banco, para que o cinto cumpra o seu papel na hora de uma batida. Da mesma maneira, não adianta andar com o encosto muito inclinado para trás, pois a chance de “escorregar” sob o cinto é grande; e também não é recomendado inclinar para frente. “A musculatura fica enrijecida e, às vezes, tão tensa que a pessoa perde a capacidade de manobrar ou desviar de algo na pista”, alegou Luzianne Azevedo.

#Ficadica: o encosto do banco deve estar entre 90° e 120°, nem mais, nem menos. Para ter mais conforto, é importante apoiar a lombar. Um item simples e barato que pode ajudar a moldar o encosto do banco é a velha conhecida toalhinha de rosto. “A toalha dobrada é o mais utilizado. Só precisa encaixá-la na região lombar antes de sentar. Mas já existem almofadas projetadas para bancos de carro e com tamanhos diferentes, pois varia de pessoa para pessoa. Nos carros mais requintados, essa função já vem de série no banco”, explicou a fisioterapeuta. É conforto pra dar e vender!

Volante

Os volantes já reservam um espaço para você acomodar os polegares. Faça como na imagem e garanta total controle da direção

Para os carros que já têm ajuste de altura e profundidade do item, tudo fica mais fácil ao encontrar a posição ideal para a direção. O importante é deixar o volante numa altura que dê para verificar os mostradores por completo (velocidade, nível do combustível, temperatura do óleo, conta-giros…) sem precisar mover a cabeça.

A posição correta para segurar o volante corresponde ao horário 9h15 no relógio de ponteiros. E, assim como as pernas, os braços devem estar ligeiramente flexionados, em um ângulo acima de 90°, porém, jamais esticados. Para saber se está na distância correta, apoie a parte inferior do punho na parte superior externa do volante e faça isso sem tirar o ombro do banco. Bingo! Achou a posição ideal para manusear a direção de forma confortável e segura.

Encosto de cabeça

A altura correta do encosto de cabeça minimiza os impactos do efeito chicote na hora de uma batida

“O apoio de cabeça não é para ficar no pescoço, nem na parte de cima. Ele serve para apoiar a nuca e evitar o efeito chicote na hora de uma batida. Desse modo, deve ficar no meio da cabeça. Esse efeito, que é quando o corpo é jogado com força para frente e volta violentamente para trás, pode causar graves lesões à coluna cervical”, alerta Luzianne. Para viajar numa boa, coloque o centro do encosto de cabeça na altura dos olhos. Assim está garantido um passeio seguro – e animado. 😀

Cinto de segurança

O cinto não pode ficar nem muito próximo do pescoço, nem do ombro

O cinto precisa passar entre o pescoço e o ombro, exatamente na metade. Isso evita o enforcamento pelo cinto e que o ocupante “escape” em um eventual acidente. A parte de baixo, do abdome, também deve estar ajustada ao corpo para que o cinto cumpra a sua função corretamente.

Alguns veículos possuem o cinto com “pré-tensionador”, um sistema que puxa o motorista para o banco ao perceber, através de sensores e radares, que haverá uma batida. Isso ajuda a deixar o piloto e passageiros na posição ideal para o impacto, com espaço suficiente para deflagrar os airbags, proporcionando a máxima proteção possível.

Cadeirinha infantil

Almofada de pescoço é ideal para dar conforto e evitar lesões

Muitas crianças entram no carro e logo pegam no sono. Já reparou que elas ficam com a cabeça “jogada”? De acordo com a profissional de saúde Luzianne Azevedo, a criança pode sofrer de torcicolo por conta da má postura na cadeirinha. 

“A cada curva, a cabeça da criança tende a balançar de um lado para o outro, o que pode levar a uma lesão. Nesses casos, é importante utilizar um apoio cervical, aquele que envolve o pescoço todo”, aconselhou.

Alongamento

Depois de todos esses ajustes, é muito provável que você consiga suportar longas viagens dentro do carro. Mas para tudo tem um limite, né? É indicado parar a cada duas horas para fazer um alongamento para despertar a mente e os músculos.

“O correto é fazer o exercício na região da coluna, pescoço, membros inferiores e posteriores, e também aproveitar para descansar a cabeça, olhar outras coisas. O alongamento serve para relaxar uma musculatura que ficou tensionada por muito tempo e o corpo precisa disso”, completou a fisioterapeuta.

Como você já sabe, 90% dos acidentes de trânsito são provocados por falhas humanas. Mas ninguém quer fazer parte dessa estatística, né? Por isso, vale rever alguns desses pontos da nossa reportagem quando entrar no carro da próxima vez. “Temos uma vida muito mais tensa, seja por problemas pessoais ou profissionais. É sabido que dois segundos de falta de atenção bastam para resultar em acidente. E se os ajustes necessários não foram feitos, pode ser ainda mais difícil evitar uma fatalidade no trânsito”, alertou o vice-presidente do ONSV.

Além de todos estes cuidados que a gente falou, para viajar com tranquilidade, conforto e segurança, nada melhor do que contratar o Seguro Auto Youse. Com ele, além de toda a comodidade de ter um seguro 100% digital, dá para garantir todas as assistências para rodar no maior sossego. E quem roda pouco também não precisa ficar sem seguro. Com o Seguro Auto por Km da Youse você só paga pelo que usar. Com essa forma personalizada de contrato, fica garantida a paz da sua família e a de terceiros, além de uma parcela bem baixinha no final do mês. Ajuste o seguro ao seu perfil e fique numa boa.