Novas regras para o recall de carros começam a valer agora

Agora, se você não atender ao recall num período de um ano, isso ficará registrado no documento do seu carro

• por
Foto: GettyImages

Melhor ficar de olho: se você vir uma campanha da montadora do seu carro na TV ou receber uma notificação alertando sobre um recall, é bom atender. Primeiro, claro, por segurança. Mas agora, com as novas regras para o recall de carros, se você não cumprir o prazo de um ano para corrigir o defeito, isso ficará registrado no documento do seu veículo.

O recall de carros está previsto no Código de Defesa do Consumidor e a legislação exige que as montadoras confirmem o defeito e avisem os consumidores imediatamente. O objetivo dessa ação é proteger as pessoas de possíveis acidentes decorrentes desses defeitos, além de dar informações claras sobre qual peça ou sistema está com problemas e onde serão feitos os atendimentos. 

Em 2018, apenas 48% dos convocados comparecerem para trocar as peças defeituosas.

Saiba+| Entenda o que é recall e como saber se seu carro foi convocado

Saiba+| Nova Carteira de Identidade: ainda preciso andar com a CNH?

O prazo dessas campanhas só termina quando todos os carros com o defeito passam pela vistoria e eventual reparo. Ou seja, quando 100% dos produtos afetados são reparados. Mas agora, a indicação sobre o defeito no documento do carro será um bom auxílio para quem quiser comprar um usado, pois essa pessoa saberá se o veículo passou pelo recall ou não. 

Eu conto ou vocês contam?

Se o seu veículo for chamado, você precisa entrar em contato com o fornecedor para agendar a revisão e, depois, ir até o local indicado para a manutenção ou troca da peça com defeito. 

Todo esse processo continua valendo. Mas com as novas regras de recall de carros, as próprias marcas também deverão disponibilizar informações sobre os chamados realizados nos últimos dez anos em seus sites, em local visível.

O consumidor também pode pesquisar sobre recall de carros nos sites da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) – que informa campanhas de recall de carros e de outros produtos desde 2002 -, ou do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Aliás, o Denatran também passa a ser obrigado a comunicar os proprietários sobre o recall por meio eletrônico ou por correspondência.

Recall de carros e segurança em primeiro lugar

Um carro em circulação que tenha defeito de fábrica representa um risco à segurança tanto para a pessoa que está dirigindo quanto para as outras pessoas que estão no trânsito. Além disso, vale a pena levar seu carro para manutenção com a frequência recomendada no manual do carro ou sempre que o modelo tiver um comportamento incomum. 

De acordo com a Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg), as seguradoras não costumam especificar recall de carros em suas coberturas ou assistências. Mas, em alguns casos, elas podem negar a indenização se acontecer algum acidente por falta de manutenção ou defeitos de fabricação e/ou de projeto.

Por isso, é importante ficar de olho nas chamadas para saber se o seu carro precisar comparecer em alguma campanha. É bom lembrar que esse processo está previsto por lei, é totalmente gratuito e só vai fazer o bem para você e para o trânsito!