Os tipos de chaves de carro e o que vem por aí

Chave presencial, canivete, no celular e até no smartwatch. Confira quanto custa cada tecnologia e como não ficar trancado para fora do carro

• por

Chave de carro é algo que, se não colocar sempre no mesmo lugar, some. Você pode perdê-la entre as almofadas do sofá, deixar cair num bueiro, quebrá-la acidentalmente ou, até mesmo, trancá-la dentro do carro. Mas será que toda chave é igual? Quando você comprou ou alugou um carro, já perguntou quanto se cobra por uma chave nova?

A resposta para isso é o famoso “depende”. As chaves evoluíram muito nos últimos anos e até os modelos populares podem cobrar uma bagatela pelo item que, em teoria, serviria só para abrir e ligar o carro. Em teoria mesmo, porque alguns modelos de chave tem muito mais do que as funções citadas: a da BMW, por exemplo, possui tela touch e pode até tirar o carro sozinho da garagem.

Crédito: Divulgação – BMW

As chaves de carro foram incorporando tecnologias ao longo do tempo, tornando-se muito mais que um dispositivo para, simplesmente, acionar a ignição. Hoje em dia, estas chaves codificadas se comunicam com o veículo com total segurança e confiabilidade. A abertura e o fechamento automáticos do carro por aproximação, sem contato com a chave, também permitem maior privacidade e segurança para entrar, dar a partida e sair do carro com maior rapidez”, alega Emílio Paganoni, gerente sênior de treinamento do BMW Group Brasil.

Segundo Paganoni, as chaves variam entre três níveis de complexidade: “As mais simples, com acionamento por botão; intermediárias, com botão programável; e mais complexas, com tela colorida, sensível ao toque e acesso às funções vitais dos veículos como, por exemplo, funcionalidades de ajustes de suspensão, monitoramento de manutenções, acionamento de sistemas de climatização, entre outros. Esses comandos, além de abertura e fechamento das portas, controlam o teto-solar, vidros dianteiros e traseiros e acesso ao carro sem chave”.

Saiba +: Como é calculado o Seguro Auto por Km?

Saiba +: Como fazer ajustes no carro para garantir conforto e segurança

O Grupo Stellantis, que detém marcas como Fiat e Jeep, também tem investido em novas tecnologias para as chaves dos automóveis que fabrica. Hoje, a marca produz quatro tipos diferentes de chaves: mecânica, canivete, presencial e valet. Confira abaixo os modelos mais comuns 🙂

 

Chave mecânica

Esse tipo de chave, assim como a residencial, tem um código — como o próprio nome diz — mecânico, ou seja, aquelas ondulações no metal correspondem ao segredo da fechadura. Porém, a de carro não é tão simples quanto a de casa: “A diferença entre uma chave automotiva e uma residencial é que a chave automotiva, além do segredo mecânico, tem um código eletrônico único (desmodrômico) que é reconhecido apenas pelo veículo”, explica Alexandre Abreu, responsável por Engenharia Eletroeletrônica da Stellantis para América do Sul.

O fato de apenas uma chave corresponder a um único carro nada mais é, obviamente, que um sistema de segurança. É o que garante Paganoni: “Na BMW, cada chave é única e habilitada especificamente para cada unidade como forma de segurança ao cliente”.

A chave mecânica é a mais intuitiva: basta encaixá-la na fechadura/ignição para abrir/fechar ou ligar/desligar o carro. Esse modelo também pode vir acompanhado de botões de travamento ou destravamento das portas.

 

Chave tipo canivete

Ela recebe este nome simplesmente pelo mecanismo que “esconde” a parte metálica da chave, da mesma forma que é possível esconder a faca no corpo do canivete. Porém, sua utilização é praticamente igual a da chave mecânica: necessita ser introduzida na ignição para dar a partida.

 

Chave presencial

Crédito: Vinicius Montoia

A chave presencial é uma das que mais traz comodidade no dia a dia, pois não é necessário tirá-la do bolso para ligar o motor e, muito menos, para abrir o carro. Estando próximo do veículo, basta colocar a mão na maçaneta — ou apertar um botão, depende do veículo — que a porta se abre. E para dar a partida, é só apertar o botão “Start/Stop”. Tem coisa melhor? Pior que tem. Algumas chaves por presença já permitem ligar o carro à distância, o que aplicativos de celular e smartwatches também já conseguem fazer, mas vamos ver isso mais para frente.

O modelo presencial conta com uma chave mecânica embutida, que é utilizada quando a bateria da carcaça da chave presencial acaba. Ou seja, é preciso abrir e ligar o carro mecanicamente quando ele deixa de reconhecer a presença da chave. Essa é a tal Chave valet. Contudo, não confunda a chave valet com o modo valet presente em alguns automóveis. O modo valet é uma configuração para motor e câmbio no qual o motorista limita a potência e velocidade do veículo ao entregar o carro para um manobrista em um estacionamento.

Crédito: Vinicius Montoia

 

Preço e prazos de entrega das chaves

Como falamos no começo do texto, o preço e tempo de espera para receber uma nova chave depende do modelo e marca. Veja o exemplo para o Fiat Argo: a chave canivete não sai por menos de R$ 1.083; a presencial em torno de R$ 938; mecânica por R$ 786 e a valet custa R$ 217.

“Em relação ao prazo de entrega, isso depende de cada Estado, variando também de cidade para cidade”, afirma Abreu. Mas o custo pode ser um pouquinho mais salgado para marcas premium: “O preço e o tempo variam conforme a tecnologia e o meio para fabricá-las. Pode ser feito em segundos nos modelos que possuem chave no celular ou smartwatch, ou meses para modelos físicos, que são exclusivos e customizados, feitos na Alemanha. A tecnologia embarcada, as possibilidades de controle via Wi-Fi e Bluetooth, sensores e gadgets envolvidos são fatores que podem elevar o custo de uma cópia de chave automotiva” conta o gerente sênior de treinamento da BMW, sem revelar os valores específicos para cada carro.

 

Segurança e ergonomia

“As chaves de carro foram incorporando tecnologias ao longo do tempo, tornando-se muito mais que um dispositivo para, simplesmente, acionar a ignição. Hoje em dia, essas chaves codificadas se comunicam com o veículo com total segurança e confiabilidade. A abertura e o fechamento automáticos do carro por aproximação também permitem maior privacidade e segurança para entrar, dar a partida e sair do carro com maior rapidez”, diz Paganoni.

Na mesma linha, a Stellantis garante que são levados em conta quesitos como segurança e comodidade durante o desenvolvimento de uma chave. Tudo isso em prol do equilíbrio entre as funcionalidades. “Consideramos que ela é uma das únicas peças — se não for a única — que o cliente carrega com ele. Com isso, alinhamos todos os requisitos ergonômicos, estéticos e de segurança nesse componente, pois sabemos que nele está a marca que o cliente, literalmente, carrega no bolso”, argumenta Abreu.

O futuro das chaves será no celular e smartwatch

Crédito: Divulgação – Fiat

Já pensou em desbloquear o carro com a digital, assim como é feito com o celular? Ou ligar o motor ao reconhecer o rosto do motorista? As montadoras já trabalham para entregar esse tipo de tecnologia.

Você já deve ter visto, em comerciais recentes de TV, que muitas marcas estão oferecendo carros que se conectam com os smartphones. E isso não traz comodidade apenas na hora de tocar as suas músicas preferidas ou consultar aplicativos de trânsito, mas também para checar as condições gerais do veículo. Essa tecnologia já chegou e agora nós passaremos a “vestir” a chave.

“A utilização de smartwatch é o que chamamos internamente de wearable keys (chaves vestíveis). Essas opções estão sendo estudadas e implementadas aos poucos no mercado para trazer mais opções para o usuário e podendo ter um design exclusivo, para que ela possa ser utilizada até mesmo como um acessório de estilo pessoal. A conectividade traz possibilidades de autenticarem o acesso ao carro de muitas formas, usando celulares e biometria”, alega o engenheiro da Stellantis.

Apesar de já dispensar a utilização da chave física, algumas montadoras vão ofertar a chave como item opcional e pode ser que ela custe mais do que se imagina. Que tal uma chave de cristais? “Para carros de alto luxo, as chaves tendem a ter um papel como uma joia, mas certamente sofrerão mudanças profundas de forma geral. Não serão as mesmas chaves que temos hoje”, finaliza Alexandre Abreu.

Seja uma joia, ou apenas um pedaço de metal, a chave continua tendo sua importância e ninguém quer ter dor de cabeça, nem custo extra, ao perder. E para evitar esse transtorno a Youse oferece a assistência Chaveiro entre os benefícios do Seguro Auto e do Seguro Auto por Km. Com esse serviço é possível chamar um profissional em caso de perda, se esquecer as chaves dentro do carro ou se quebrar na ignição ou na fechadura. Se não rolar o conserto no local, a Youse reboca o carro até o local que você escolher dentro da cidade.

E o melhor é que você garante a mão de obra e a confecção de uma chave, sem ter que pagar nada a mais por isso. Já pensou na economia que esse serviço oferece? Aproveite a Assistência Chaveiro e fique numa boa! :)