Ponto cego no carro pode “esconder” totalmente bikes e patinetes

Estudo mostra que hatches compactos podem ter uma área equivalente à uma vaga de estacionamento de ponto cego

• por
ponto cego no carro ponto cego no carro

Não é novidade que os carros vêm dividindo o espaço das ruas com novas soluções de mobilidade, como bikes e patinetes elétricos. Pra garantir a segurança de todos, os motoristas precisam ficar cada vez mais atentos ao que acontece em volta. Mas e se ficar difícil de ver um ciclista se aproximando por conta do ponto cego no carro?

Um estudo sobre micromobilidade feito pelo CESVI Brasil (Centro de Experimentação e Segurança Viária) mostrou que bicicletas e patinetes elétricos trafegando do lado direito dos carros podem ficar completamente ocultos na visão de quem está dirigindo.

A pesquisa avaliou a visibilidade do motorista em relação ao ponto cego no carro considerando vários tipos de carroceria. Os hatches compactos, que são maioria no Brasil, têm a maior chance de “esconder” bikes e patinetes. A área de ponto cego pode ser maior do que 11m²,  o equivalente ao tamanho de uma vaga de estacionamento.

Motorista, diminua o ponto cego no carro!

Com alguns ajustes pequenos dá pra reduzir o ponto cego no carro e dirigir com mais segurança. O primeiro passo é encontrar a posição correta no banco: os pés precisam alcançar os pedais facilmente, com os joelhos um pouco dobrados. Com as costas retas e os punhos alcançando o volante, ajuste o retrovisor interno do carro de forma que visualize a maior parte do vidro traseiro. Ao alinhar os retrovisor externos, a dica é colocá-los na posição em que mostrem mais da rua e menos do próprio carro. Para isso, vá abrindo cada espelho até que o carro saia do seu campo de visão.

Saiba+: Dia Nacional do Trânsito: você sabe tudo sobre as leis de trânsito?

Saiba+: Dia do Ciclista: veja as regras para pedalar no trânsito

Ciclista, use a ciclofaixa!

Para o estudo do Cesvi foram avaliados mais de 1,2 mil ciclistas e condutores de patinetes, nas avenidas Paulista e Brigadeiro Faria Lima, em São Paulo. As duas vias são bem movimentadas e possuem ciclofaixas demarcadas por toda a extensão. Ainda assim, segundo a pesquisa, 9% dos ciclistas e 21% dos condutores de patinetes circulam nas ruas junto com os carros. 

Em relação à segurança, a pesquisa identificou que 80% dos ciclistas e 87% dos usuários de patinetes não utilizam qualquer equipamento de proteção. Para o Cesvi, o kit adequado deve ser composto por capacete, joelheira e cotoveleira. Mas apenas 22,3% de ciclistas e 12,3% dos usuários de patinetes usam pelo menos o capacete.

Quem anda a pé fica ainda mais exposto. Enquanto 11% dos ciclistas ainda não respeitam a faixa de pedestres, 17% dos condutores de patinetes param no meio da faixa, bloqueando a passagem. Além disso, 8% dos ciclistas e 16% dos usuários de patinetes não obedecem ao semáforo.

Imagem ilustrativa

Simulação de Seguro Auto

Aqui na Youse você contrata só os serviços que precisa e que cabem no seu bolso. Além de o seguro ser totalmente personalizável, você faz tudo 100% online, rapidinho e na palma da mão.

Fazer cotação
Youse - Caixa Seguradora