Organização financeira: 10 dicas para ficar no azul

• por
organização financeira organização financeira

As contas não param de chegar, o orçamento fica apertado, tudo acaba virando uma bola de neve e no fim do mês você percebe que perdeu o controle dos gastos? Vai ficar tudo bem, porque o professor de finanças, Ricardo Fernandes, da Universidade Presbiteriana Mackenzie de Campinas, te mostra o caminho para a organização financeira. Olha só:

1) Tenha disciplina

Na hora de comprar, anote quanto e onde gastou. O professor Ricardo diz que é assim que se começa a criar uma disciplina para controlar os gastos e alcançar a organização financeira. “Tem que manter o hábito de ficar de olho no que está gastando, tem aplicativo que pode ajudar nisso ou dá para conferir na fatura do cartão de crédito. Mas o importante é criar esse hábito, nem que seja anotar em um papel.” Para os brasileiros, esse hábito não é comum, já que segundo a SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito), cerca de 59% dos brasileiros compram por impulso.

2) Compra consciente

No supermercado, é melhor realizar a compra do mês ou semanalmente? “O importante é ir com a listinha, nas duas ocasiões. Depois, pensar no que realmente é essencial e aí conferir a validade, pois em uma compra do mês é muito mais fácil deixar o produto vencer.” diz Ricardo. Cerca de 28% dos alimentos que chegam nas casas dos latinos-americanos são desperdiçados, viu?

3) Tenha metas

“Preste atenção na obsolescência planejada daquilo que você quer comprar, analise bem o que realmente precisa. Um celular, uma TV de última geração terá uma nova versão daqui há um ano, portanto, procure por opções intermediárias, avalie.” Não só: qual o custo-benefício da sua compra? Aqui, Ricardo menciona a pesquisa realizada pelo IBGE sobre a renda média per capita do brasileiro, atualmente de R$1.268, ou seja, “50% dos brasileiros ganham menos de R$4.000, porque querem comprar um celular de R$7.000? Será que vale o status?”

4) Nada de pânico

Ao assumir uma dívida, fique atento para se livrar dela o mais rápido possível. Evitar entrar no cheque especial e acumular juros do cartão de crédito são detalhes muito importantes para quem está focando na organização financeira. “Priorize as dívidas que você precisa pagar o quanto antes, peça ajuda ao seu banco para tentar refinancia-las se for necessário.” indica Ricardo. Uma pesquisa recente do Serasa Experian aponta que 36% da população está endividada, sendo o sudeste a região com o maior percentual.

5) Evite ciladas

Cartão de crédito pode parecer uma boa opção na hora de parcelar uma compra. Porém, cuidado com os juros. “Sempre tente concentrar o pagamento em uma data que caia próxima ao dia que você recebe o salário, veja sempre na fatura. Para quem não tem essa organização financeira, o melhor é usar o débito ou cartão pré pago.” diz. (saiba as diferenças entre cartão de crédito e pré pago ) Sempre parcele o que você pode pagar, tudo bem? Agora, o cartão de crédito ganhou novas regras: não será mais necessário pagar o mínimo de 15% do valor da fatura sem ficar inadimplente.  

6) Estilo de vida

Se no momento você está sem trabalhar, diminua seus gastos até se recolocar no mercado. “Tente buscar alternativas sem trazer muito aborrecimento para você mesmo. Mudar o estilo de vida é difícil, mas pense que é necessário e momentâneo. Cuide da sua saúde, alimentação, educação e procure fazer escolhas mais baratas.” Mesmo depois que conseguir um emprego, mantenha o costume de poupar dinheiro e priorizar o que realmente é necessário para manter a organização financeira em dia.

7) Invista

Essa é uma das maneiras mais indicadas para você poupar dinheiro. “Estamos em um momento em que a renda fixa está indo bem. Em títulos públicos, também conhecido como tesouro direto, são 9%. Já que a taxa selic caiu, em torno de 6,5%, é um rendimento respeitável, principalmente para o público jovem, que pode aplicar de pouquinho em pouquinho.” diz o professor. Em uma simulação, 2 anos de investimento no tesouro direto, com R$ 1.000,00 como valor inicial e R$ 300,00 aplicados por mês, com custos e impostos, ao final poderá render R$ 9.142,37.  

8) Planeje-se para grandes compras

Se o desejo é comprar um carro ou uma casa, realizar uma festa ou uma viagem internacional, a dica é pesquisar. E pesquisar muito. “Pense se um dia precisar vender o que você comprou. Um carro novo perde cerca de 8% do valor original, será que não vale mais a pena comprar um semi novo? O mesmo serve para uma casa. Veja se o valor do imóvel tem uma boa liquidez, veja se é bem localizado, tudo influencia no preço. Ou na hora de procurar uma viagem, veja os valores fora de temporada.”

9) Aplicativos

A tecnologia veio para ajudar e isso inclui a sua organização financeira. Por isso, existem inúmeros aplicativos que podem te auxiliar na organização das suas finanças, tanto para poupar, quanto para planejar uma viagem, um casamento, a definir metas. Você escolhe qual se encaixa nas suas necessidades, deixando a sua gestão muito mais prática.

10) Converse sobre dinheiro

Pode parecer simples, mas o hábito de conversar e ler sobre o assunto é excelente. Ainda segundo um estudo realizado pela SPC Brasil e pela CNDL, apenas 44% das famílias brasileiras conversam sobre dinheiro. “Isso está mudando, as pessoas estão se preocupando mais com isso numa iniciativa de aprender como poupar. Porém, acho que precisamos começar a ver que dívidas, dependendo de quais são, não são de todo ruim. Temos que nos ver como investidores e não devedores.”

Jogo da vida real: veja se consegue chegar ao final com saldo positivo!

 

Fonte: IBGE; Instituto Akatu; SPC Brasil, Serasa Experian; Calculadora da Fortuna;

….

Ei, você já conhece o Seguro de Vida da Youse? Ele é do seu jeito, feito pra facilitar a sua vida! Clique aqui e conheça mais!