Conheça a sua cidade a pé

Descubra a intimidade e a história do seu entorno fazendo caminhadas do seu jeito  

• por
Foto: Getty Images

Andar a pé pela cidade, com ou sem rumo, é uma ótima forma de conhecer o que está ao nosso redor. Aquela caminhada pelo bairro, a parada na padaria,  naquele café ou ficar reparando em todas as pessoas e na arquitetura ao redor são ótimas maneiras para descobrir grandes histórias desse ambiente que pouco reparamos, mas que nos cerca.

Não importa se você está viajando ou more na cidade, andar sem pressa, com um olhar curioso e curtindo cada passo no asfalto, são fatores essenciais para desfrutar do chamado  turismo urbano. Afinal de contas, em cada passeio, experimentam-se diferentes sensações (#FicaDica).

E para descobrir quais as melhores maneiras para se jogar pelas ruas da cidade, Mari Gajanigo, que trabalha com Walking Tour, em São Paulo,  apresenta alguns caminhos que vão deixar você turistar numa boa e ter um olhar sobre a cidade que ainda não conhecia. ”É algo que sempre digo aos amigos: se você tem um trajeto ou uma rotina, troque esse caminho sempre. Não precisa ser todos os dias. Use uma rua paralela e, outro dia, a transversal, porque tem muita coisa nova e algo que, às vezes, a gente não presta atenção”, afirma.

Saiba+:https://start.youse.com.br/mobilidade/modo-rua-como-ser-um-bom-pedestre

Saiba+:https://start.youse.com.br/mobilidade/vamos-repensar-a-mobilidade-urbana

Desfilando pela história

Diariamente, passamos por estátuas, escadarias e monumentos, mas nem reparamos o quanto de história e memória têm guardado nestes objetos ou espaço que percorremos entre ruas, semáforos e calçadas. No entanto, em uma pequena pausa, você pode dar uma olhada e ter a curiosidade em saber o significado do nome de uma rua, por exemplo, ou ficar interessado na importância do prédio em que trabalha e de quem é a estátua na praça que está relaxando. 

E durante a nossa rotina, sem perceber, becos e avenidas podem ser uma galeria de arte a céu aberto à sua espera. Basta dar aquela respirada e olhar ao redor do nosso bairro. “A gente quer fazer tudo muito rápido e acaba não percebendo o que está ao nosso redor. Não olhamos para o alto, não observamos com calma algum edifício ou uma fachada. A rua São Bento, por exemplo, é umas das mais antigas de São Paulo, e por lá é possível encontrar um ou outro prédio que é do século XIX, mas ninguém tem coragem de olhar pra cima”, alerta Mari. 

Então, lembre-se que quando for tirar uma selfie naquela mureta cheio de grafites, ou curtir antigos galpões industriais transformados no seu espaço cultural favorito e até o velho mercado que você devora seu lanche “espanta larica”, utilizar outras tecnologias além do seu app Instagramável para aproveitar esse rolês. Abuse do mundo digital para conhecer os lugares e incrementar o bate-papo. 🙂

Exploração Digital

Atualmente, existem alguns apps que ajudam a montar roteiros alternativos e mudar nossa experiência urbana. Se você quer ser um turista e explorar as ruas como um nativo, Spotted by Local e Like a Local são os aplicativos que você deve ter. Eles reúnem sugestões feitas pelos moradores com indicação de locais divertidos que provavelmente não seriam visitados em rotas convencionais.  

Agora se quer descobrir alguns monumentos ou prédios históricos, o Wikitube e o Buildings, são perfeitos para você brincar de historiador e descobrir os segredos por trás daquelas arquiteturas maravilhosas. “Hoje em dia a gente tem muito tour especializado, porque as pessoas estão exigindo isso. Porque é legal a gente entender a nossa história e saber de onde viemos”, afirma a guia de turismo.

E a sua interação com a cidade também pode ser feita virtualmente. Recentemente, algumas plataformas digitais possibilitaram a simulação de caminhadas  por diversas cidades do mundo, somente através de um vídeo e criando uma atmosfera bem realista, através de uma ferramenta 100% digital.

Sem medo de ser, mas sem distração

Lembrando que ao andar a pé, nós dividimos as ruas com outros meios de locomoção  e temos que fazer a nossa parte para conviver bem nessa interação com a cidade entre carros, bikes e motos. Por isso, para ser um pedestre, também é bacana ter consciência no trânsito, como alerta Mari Gajanigo, “Sendo morador da cidade ou estrangeiro, vestiu a capa de turista, você fica distraído. Por isso a reeducação no trânsito tem que ser constante, não dá pra ser pontual, porque as pessoas precisam ser lembradas. Como, por exemplo, as bikes têm que seguir as regras dos carros ou regras dos pedestres? São informações básicas que as pessoas não sabem e saem xingando no meio da rua. Portanto, são informações que podem ser divulgadas de forma mais abrangente e com melhores sinalizações”. #maioamarelo

É interativo e libertador

Andar a pé é confortável, amplia a visão da paisagem ao redor e a dinâmica da cidade nos faz interagir, refletir, desapegar de preconceitos e descobrir os universos paralelos. Ouse por outros caminhos, seja cosmopolita, plural, vibrante, urbano e único, caminhando por vielas ou gigantes avenidas.

Essa é mais uma opção neste mundo mágico da mobilidade. E aqui na Youse a gente adora descobrir formas criativas e eficientes de melhorar o mundo! Ajudamos você a manter a saúde em dia  e aproveitar a vida, sem abrir mão da segurança. E tudo isto com serviços e assistências que cabem no seu bolso, de um jeito 100% digital.