Dia do Fotógrafo: a importância da fotografia para o MIS

Diretor cultural do MIS relembra exposições e projetos dedicados ao registro de imagens

• por
Acervo MIS

A origem exata da fotografia é incerta. Ao longo da história, muitos cientistas tentaram fixar uma imagem no papel. Alguns registros, inclusive, datam de 350 A.C.! Incrível, né? De lá pra cá, muita coisa se transformou: do daguerreotipo às câmeras de filmes, até chegar nos smartphones. Mas se tem uma coisa que nunca mudou foi o poder da fotografia de retratar épocas, fazer a gente compreender o mundo e visitar lugares sem sair de casa. Nesse 8 de janeiro, Dia Nacional do Fotógrafo, a gente convidou Cleber Papa, diretor cultural do MIS, pra falar sobre o pioneirismo do museu em resgatar o passado por meio de imagens. 

Saiba+: Explore a cidade: conheça o Museu da Imagem e do Som

Saiba+: Arte e cultura: Paço das Artes completa 50 anos com acervo online

Diretor cultural do MIS fala sobre fotografia e memória 

Quando a gente fala de imagem, não tem como não falar do MIS – Museu da Imagem e do Som. Além de suas exposições itinerantes, o museu tem um acervo com mais de 200 mil itens, sendo grande parte deles voltados ao universo da fotografia.

Em 50 anos de história, o MIS registrou a evolução dessa arte. “Uma das missões mais importantes do MIS é dar espaço à fotografia. Afinal, é por meio da valorização do passado que as próximas gerações vão ter a oportunidade de conhecer épocas não vividas”, diz Papa. 

E falando em novas gerações e em novos tempos, o museu soube explorar muito bem a transição das imagens analógicas para o mundo digital no programa “MObgrafia”, maior festival de fotografias feitas com celular da América Latina. Nele, um corpo internacional de jurados elege as melhores fotos de acordo com cada categoria e as vencedoras são expostas no MIS. “A gente quer mostrar que é possível ir muito além da selfie com um celular. Você pode ser criativo e tirar fotos extremamente bacanas se dominar o aparelho”, garante. 

Outro projeto bem legal é o “Nova Fotografia”, espécie de incubadora de novos talentos. Todo ano, o museu realiza uma convocatória e seleciona seis séries de imagens de novos fotógrafos para expor em seus corredores. Quem sabe você não pode ser o próximo?

Exposições que ficaram na memória

O MIS já foi palco de exposições marcantes e que tiveram a fotografia como um de seus elementos principais, como a do diretor Stanley Kubrick, a do cantor David Bowie, a do programa de TV Castelo Rá-Tim-Bum e a do cineasta Tim Burton. Em 2020, foi a vez do ex-beatle John Lennon ser homenageado, na exposição “John Lennon em Nova York por Bob Gruen”. A gente curtiu tanto que foi até lá até pra te mostrar tudo

E se você tá curioso pra saber o que vai rolar em 2021, Papa já adianta que vem muita coisa incrível! “Vamos abrir as portas para doze exposições individuais, uma grande exposição de fotografia de cinemas de rua, duas exposições de fotografia com nomes ainda não confirmados e uma exposição super aguardada do fotógrafo Gal Oppido sobre arte erótica japonesa”, afirma. Demais, né? Estamos ansiosos!

E pra conferir tudo o que tá rolando no MIS em primeira mão, é só acessar o site ou acompanhar a gente por aqui! 🙂