Seu carro é flex? Saiba se vale mais a pena abastecer com álcool ou gasolina

• por

Com a alta dos combustíveis, o motorista precisa ter o consumo na ponta do lápis. Mudando alguns hábitos, dá pra rodar por aí #numaboa

LEIA +: 6 carros híbridos mais desejados em 2022

LEIA +: Os 10 carros mais baratos em 2022

 

Álcool ou gasolina? Essa é a dúvida que não quer calar, né? E, se você tem um carro flex com certeza já teve esse questionamento na hora de abastecer. 

Antigamente, era comum ouvir uma regrinha de matemática que valia para saber o que era mais vantajoso: era só dividir o preço do litro de álcool pelo preço do litro de gasolina. Se a calculadora mostrasse um resultado igual ou maior do que 0,7 era melhor colocar gasolina. Já se o valor fosse menor do que 0,7, melhor usar álcool. 

O problema é que esse cálculo se baseia no rendimento do combustível que é, em geral, 30% menor para o álcool se comparado com a gasolina. Mas, levando em conta que cada carro tem um consumo diferente, essa regra acaba sendo muito genérica. 

Dessa forma, o ideal é conhecer o consumo específico do seu carro e os seus hábitos ao volante antes de aplicar a regra.

Estrada ou cidade?

Um dos fatores importantes para entender o consumo do seu veículo é saber se você roda mais na cidade ou na estrada. Em geral, os carros são mais econômicos na cidade, rodando mais quilômetros por litro do que na estrada. 

Ou seja, o consumo vai ser sempre menor em perímetros urbanos do que em grandes distâncias. 

 

Um consumo para cada combustível 

Uma das maneiras de saber quanto seu carro “bebe” por litro é comparando o consumo específico para cada tipo de combustível. Para fazer essa comparação, é bem simples: você vai precisar abastecer apenas com álcool por algum tempo, e depois apenas com gasolina.

Vamos começar pelo álcool, ok? Quando achar que não tem mais mistura de combustível no motor,  encha o tanque e zere o hodômetro parcial. Rode por algum tempo e abasteça de novo até o limite do tanque. Depois disso, divida o número que o hodômetro parcial estiver marcando pelo número de litros colocados. Assim você terá o consumo do seu carro para álcool. Fácil, né? Aí, é só repetir o processo com a gasolina. 

Pronto! Você tem o consumo do seu carro para cada combustível. Agora, precisa fazer uma média entre ambos. Você chegará a esse número dividindo o consumo de álcool pelo consumo de gasolina. 

Vamos de exemplo? Se seu carro faz 9 km/l com etanol e 13 km/l com gasolina, basta dividir 9 por 13. Note que o valor encontrado vai ser 0,69, ou 69%, que é um pouquinho menor do que a regra sugere: 0,7 ou 70%. 

Agora que você conhece o consumo específico do seu carro, você pode retomar a regra: se o número encontrado na divisão dos valores dos combustíveis for igual ou maior do que 0,7 é melhor abastecer com gasolina. Se der menos do que 0,7, vai de álcool. 

Por exemplo: se o etanol custa R$5,50 e a gasolina custa R$7,20, o resultado ao dividir o preço do etanol pelo de gasolina será 0,76, ou 76%, que é maior do que 0,70. Sendo assim, compensa abastecer com gasolina.

 

O comportamento do motorista 

Alguns hábitos do motorista podem impactar no gasto de combustível. Alguns deles são: 

  • Não passar as marchas no momento em que “o carro pede”; 
  • Abastecer em postos de qualidade duvidosa;
  • Não calibrar os pneus quando necessário;
  • Carregar muito peso no porta-malas;
  • Acelerar demais sem necessidade;
  • Não fazer as revisões periódicas.

Evitando esses vícios de comportamento, o combustível vai durar mais e o seu carro vai trafegar mais tempo numa boa. 

 

Qual polui menos? 

Por ser um derivado da cana de açúcar, o álcool emite menos gases nocivos à atmosfera, como o dióxido de carbono. Além disso, a cana é uma fonte de energia renovável, ao contrário do petróleo, combustível fóssil de onde vem a gasolina. Por isso, abastecer com álcool é melhor para o meio-ambiente. 

 

Não queime dinheiro: conte com a Youse

A Youse tem a cobertura certa para o seu carro. Dá até pra contratar o Seguro Auto por KM e vc só paga pelo que usar. Contrate e caia na estrada numa boa! 

 

Texto por Suellen Amorim