#TorcidaTipoVc: O artista da bola do Marrocos

• por

Imagine uma tradição que já dura mais de 100 anos. Uma verdadeira paixão que é passada de avô para pai, de pai para filho, impossível de explicar para quem não sente. Assim é o futebol. E assim é o trabalho de Kamal Boukentar. O artesão trabalha em um pequeno espaço na Almedina de Marrakech, no Marrocos. Sob a fachada com o nome “La Clinique Du Ballon” (a clínica da bola, em português), o atelier vende bolas de couro feitas à mão que são réplicas perfeitas dos modelos utilizados nas ligas oficiais de futebol desde os anos 1890.

É correr os olhos pelas prateleiras para ver modelos de 1930 (ano do primeiro mundial), de 1950 (aquele mesmo, que rendeu o gol de derrota do Uruguai sobre o Brasil em pleno Maracanã) e, claro, de 1958, ano em que os brasileiros conquistaram sua primeira taça do mundo.

O avô de Kamal produzia as bolas sem ter um negócio propriamente dito. Já seu pai decidiu levar aquele talento ao comércio e fundou a loja em 1965. Hoje, o espaço se tornou um ponto turístico não só para compradores, mas para pessoas que dividem a mesma paixão pela bola, que ficam admiradas em observar o artesão em ação, trabalhando as grossas costuras e o pesado couro com rapidez. O resultado é uma pelota pesada, que pede um chute forte para rolar com velocidade e que exige muito talento para voar com efeito.

“Aprendi isso com meu pai, que aprendeu com meu avô. E certamente vou ensinar para os meus filhos continuarem a tradição”, conta Kamal.

Para os interessados, os preços das bolas feitas artesanalmente vão de 80 a 160 euros, algo em torno de R$ 300 a R$ 600. Caro para jogar futebol, mas uma pechincha para quem busca colocar uma peça realmente única como decoração em casa. Afinal, obra de arte não foi feita para se chutar.

Os interessados podem fazer uma visita no endereço 14 talaa souk tihane, em Marrakech.