5 iniciativas para o Dia Mundial sem Carro

• por
Afuá é a única cidade brasileira que não tem carros. | Foto: Geovana Luzia

O Dia Mundial sem Carro é comemorado em 22 de setembro e é uma data para refletirmos sobre o impacto do uso dos automóveis na nossa vida e na mobilidade. Veja cinco ações de cidades que tomaram atitudes inteligentes para melhorar o fluxo do trânsito e a qualidade de vida de seus moradores.

1 – A única cidade sem carros do Brasil

Afuá, também conhecida como a cidade das bicicletas, é um município com quase 40 mil habitantes localizado no estado do Pará. É a única cidade brasileira onde carros e motos são proibidos por lei de circular. Isso porque a cidade fica em uma área de várzea que alaga periodicamente. As ruas, elevadas pelo menos meio metro do chão, são feitas de palafitas (estacas de madeira que sustentam habitações construídas sobre a água) para escapar dos efeitos da maré.

Por isso, não existem veículos motorizados como carros ou motos em Afuá. As bicicletas se tornaram o principal meio de transporte tanto para moradores quanto para os órgãos oficiais, como a Polícia e o Corpo de Bombeiros. Aqui, todo dia é Dia Mundial sem carro. 

Saiba+: 5 jeitos de ajudar a mobilidade da sua cidade

Saiba+: Como é a mobilidade urbana no Brasil?

2 – Nada de carro por um mês inteirinho 

O Parque Cultural Ferroviário Hamasen será uma zona modelo para transporte verde gratuito. |Foto: Eco Mobility, 2017

Em 2017, a cidade de Hamasen, em Taiwan, recebeu o Festival Mundial de Eco Mobilidade. Foi proposto que os moradores não usassem seus carros, mas apenas bicicletas e transporte público durante um mês inteiro. 

Assim, foi possível identificar algumas questões que impactavam a mobilidade, como a necessidade de investir em transportes públicos de qualidade, disponibilizar mais bicicletas e mais espaços de convivência. 

Resultado: 

– O sistema de transporte público passou a contar com três ônibus elétricos e com o sistema iPass, um cartão que integra todos os modais, incluindo balsa;

– 400 bicicletas passaram a ficar à disposição nas ruas, de graça;

– Foi implementado um serviço de carros elétricos compartilhados;

– e-Scooters começaram a ser usadas no serviço de segurança da cidade e

– Foram criados mais de 11 pontos de estacionamento para que os carros não ocupassem as ruas.

Em 1997, ativistas franceses decidiram criar o Dia Mundial Sem Carro e escolheram a data de 22 de setembro para organizar a mobilização.

3 –  Chega de veículos a diesel e a gasolina, chega… 

Em Amsterdã, o número de bicicletas já supera o de habitantes da cidade. | Foto: GettyImages

Um estudo da Universidade de Oxford descobriu que cerca de 10 mil pessoas morrem prematuramente na Europa devido à poluição causada apenas por carros a diesel. A avaliação dos efeitos na saúde associados aos veículos a diesel é pelo menos cinco vezes maior do que os associados a veículos a gasolina

É por essas e outras razões que Madri, capital da Espanha, começou a restringir o acesso de carros a gasolina fabricados antes de 2000 e a diesel antes de 2006. Em Amsterdã, carros a diesel de até 15 anos deverão ser proibidos a partir de 2030 e ônibus, a partir de 2022. Roma prometeu banir veículos a diesel do centro da cidade até 2024. 

4 – Aos domingos a gente não usa carro

Na Paulista, você encontra bandas de rua, artesanato, aulas de dança e fotografia. | Foto: GettyImages

Paris também criou um programa para banir carros em mais de 20 áreas no primeiro domingo de cada mês. O “Paris Respire” tem o objetivo de reduzir os índices de poluição da capital francesa. A proibição inclui até a famosa avenida Champs-Élysées, que fica disponível apenas para os pedestres. De acordo com a Airpartif, que monitora a poluição na cidade, os níveis de dióxido de carbono caíram até 25% em algumas regiões durante o primeiro domingo sem carros. 

Em São Paulo, essa iniciativa se chama Programa Ruas Abertas, que incentiva a convivência em espaços públicos. A avenida Paulista fica fechada para carros das 10h às 16h, no domingo, e o Minhocão, o fim de semana todo.

No Brasil, o Dia Mundial Sem Carro é mais recente. A partir de 2001, já tivemos nossa primeira versão, que envolveu 11 cidades. Entre elas: Porto Alegre, Vitória e Belo Horizonte. 

5 – Só vale carros elétricos agora 

Veículos de emissão zero representaram um terço dos vendidos no país em 2018. | Foto: GettyImages

O combate às mudanças climáticas é uma alta prioridade para Oslo, a capital da Noruega. A cidade pretende reduzir as emissões de poluentes em 50% até 2020 e zerar por completo a emissão de carbono até 2050. Para isso, já implementou uma série de medidas integradas, como melhorias na infra-estrutura de ciclismo e transporte público e a criação de zonas livres de carros. 

O uso de carros elétricos também é incentivado. Oslo até se tornou a ‘Capital de Veículos Elétricos do Mundo’, sendo que 30% de todos os carros vendidos atualmente são elétricos. Além disso, a cidade está em um processo para eliminar todas as vagas de estacionamento para carros localizadas no centro, abrindo mais espaço para ciclistas e pedestres.

Um dia para pensar 

Que tal aproveitar o Dia Mundial sem Carro para refletir? Se, nesse momento, não podemos viver totalmente sem carros, então, como podemos nos locomover de uma forma mais inteligente?