Conheça 4 mulheres e suas escolhas inspiradoras

• por
Ilustração de Camila Rosa para o Refinery29

Não é só no Dia da Mulher que você deve se sentir bem para ousar ser você mesma. Assim como as mulheres abaixo, que decidiram fazer escolhas diferentes que mudaram suas vidas e hoje servem de inspiração para muitas outras. Quem sabe, até você.

Pérola Dutra, fotógrafa

“A feminilidade tem muitas expressões e cada mulher tem seu jeito”. É nisso que a Pérola Dutra, de 30 anos, acredita. As fotos dela são inspiradas no estilo urbano e na contracultura, com imagens de mulheres fortes e sem a apelação sexual que a gente costuma encontrar na publicidade. “Sempre que eu puder ajudar a empoderar uma mulher e mostrar que não é preciso objetificar a imagem feminina pra vender o que quer que seja, farei”, afirma.

Na infância, ela ganhou do avô um livro sobre fotos e a paixão começou. Mas, mesmo depois da faculdade, as chances de virar assistente de fotografia não davam em nada. “Os rapazes sempre eram escolhidos. Me disseram na época que eles tinham mais força pra carregar os equipamentos, argumento que eu nunca aceitei bem. Decidi começar por conta própria e aprender com minhas próprias experiências e dificuldades”, conta.

Hoje ela é sócia de uma amiga, com quem registra “os casamentos mais descolados que você pode imaginar”. Também faz fotos lindas de moda urbana que aparecem em sites especializados. “Costumo fotografar bastante marcas de streetwear, segmento dominado por homens, e já precisei me impor para não colocar as modelos femininas em posição de submissão ou de objetificação nos shootings”, revela. “A feminilidade me encanta muito. Mas não aquela que nos ensinaram, que é frágil e sim, aquela que é sedutora e forte como realmente somos”.

Demais, né? Você pode conferir o trabalho incrível da Pérola Instagram.

Fotos: Pérola Dutra
Alguns dos cliques feitos pela Pérola

Rose Volante, boxeadora

Na madrugada de 22 de dezembro do ano passado, Rose Volante, aos 35 anos, fez história: se tornou a primeira brasileira campeã mundial de boxe. Até então, os únicos campeões eram Eder Jofre, Miguel de Oliveira, Acelino “Popó” Freitas e Valdemir “Sertão” Pereira – todos homens.

The Queen Rose, que começou a lutar profissionalmente faz só quatro anos, ganhou o cinturão de peso leve da Organização Mundial do Boxe quando venceu a argentina Brenda Carvajal por pontos. Ela chegou a mandar a adversária para a lona duas vezes durante a luta. “Me tornei campeã da WBC, WBA, WBO e IBF. Sou a primeira campeã mundial das quatro organizações principais do boxe”, comemora.

E a Rose só queria perder peso quando entrou em um clube escola da prefeitura de Santos, em 2004. “Não tinha mulheres treinando lá e tive uma resistência do treinador no início”, afirma. A atleta perdeu 40 quilos e tomou gosto pela competição. Já são 12 lutas, todas com vitória, 6 delas por nocaute.

“Me sinto honrada e espero que, com isso, a mídia e os empresários venham olhar para o boxe. E falo do feminino, onde existem muitos talentos que param no meio do caminho por falta de apoio”, desabafa Rose, que sempre precisou conciliar treinos e lutas com outros trabalhos. A revanche com Carvajal já está marcada: 21 de abril, na Arena Santos.  “Convido a todos para a minha defesa de título”.

Você pode acompanhar a rotina de treinos da Rose no Instagram dela.

Rose Volante comemora vitória de título mundial de Boxe
Rose Volante comemora vitória de título mundial de Boxe

Camila Rosa, ilustradora

A luta e o empoderamento da mulher aparecem com muita força nas ilustrações da Camila Rosa, de 29 anos. “Com meus 12, 13 anos foi quando eu ouvi falar sobre feminismo pela primeira vez, através do meu envolvimento com o punk/hardcore, ouvindo bandas feministas e vendo shows e palestras. Desde essa idade, isso sempre esteve comigo e eu me sentia muito frustrada de não conseguir colocar essa urgência, que era tão importante pra mim, nas minhas ilustrações. Eu simplesmente não sabia como poderia unir as coisas”, conta.

Hoje, ela imprime bem sua identidade nos trabalhos, mesmo quando a ilustração é para alguma empresa. “Está acontecendo uma onda feminista muito forte no mundo todo e aqui não poderia ser diferente. Por conta disso, os grandes meios de comunicação e as grandes marcas estão reavaliando os seus posicionamentos e com certeza por isso o feminismo tem se tornado um movimento político cada vez mais popular e acessível”, explica.

Além de inspirar e motivar outras mulheres, Camila conta que a relação com o público também alimenta seu espírito pra seguir ilustrando. “Recebo muitas mensagens de mulheres que se sentem representadas pelo que faço ou que simplesmente se sentem acolhidas pelo meu trabalho. Sem demagogia, é isso que realmente importa pra mim, essa aprovação e carinho é o que me dá motivação pra continuar fazendo o que faço”.

Confira as ilustrações da Camila no perfil dela no Instagram.

Ilustrações de Camila Rosa
Ilustrações de Camila Rosa

Ju Romano, blogueira e jornalista

Quando o blog Entre Topetes e Vinis entrou no ar, em 2009, o mundo ainda estava aprendendo a se libertar dos padrões de beleza. E olha que foram muitas décadas dominadas por essa cultura. A Ju Romano criou o site para ser “um espaço para todas as meninas e mulheres que não se encaixam nos ‘padrões’ e querem se livrar dessas regras que limitam nossa criatividade, liberdade e expressão”, como ela mesma define o blog. Era uma proposta despretensiosa.

O blog foi muito além disso e hoje a Ju, que tem 28 anos e se define como “uma gordinha de pernas curtas e cílios longos”, é uma inspiração e referência em moda, beleza, maquiagem, cabelo e personalidade pra todo mundo que busca se sentir bem em ser exatamente como é. Os conteúdos dela se espalham em vídeos, posts nas redes sociais, fotos e apresentação de eventos por todo o país. Sempre ajudando a derrubar os padrões.

Para acompanhar a Ju Romano, é só visitar o site dela.