Outubro Rosa: redes de apoio ajudam a enfrentar o câncer de mama

Um aplicativo que conecta mulheres, um grupo na rede social para trocar experiências e a ajuda da família e dos amigos: o suporte que pode aumentar a qualidade de vida de quem recebe um diagnóstico de câncer de mama

• por
outubro-rosa-redes-de-apoio outubro-rosa-redes-de-apoio

“Quando passei pelo processo, não achei nenhum grupo de apoio… E quando saí da primeira cirurgia, eu quis fazer uma promessa: ajudar mulheres e homens a alertar sobre a importância da prevenção do câncer de mama. Então, resolvi criar um grupo no Facebook”. Esse é o relato da militar Vanessa Pessôa, de 34 anos, que administra o grupo Câncer de Mama, aberto ao público na rede social. 

Vanessa foi diagnosticada com câncer de mama em 2016 e, no ano seguinte, criou o grupo que hoje já conta com mais de 8 mil participantes. Entre eles, mulheres com câncer de mama, seus parceiros, amigos e familiares. O grupo se tornou um espaço para compartilhar histórias, tirar dúvidas e disseminar informações sobre a prevenção, detecção e tratamento do câncer de mama.

“Recebo no privado algumas mensagens de carinho, dizendo que o grupo foi a melhor coisa que apareceu na vida da pessoa, no momento em que ela mais precisava de apoio. Tem pessoas que não conseguem conversar com a família, pois acham que o que sentimos e falamos, é um exagero. E no grupo, as pessoas se sentem acolhidas”, conta Vanessa. 

Uma rede de apoio na palma da mão

mamatch redes de apoio

Além das redes sociais, aplicativos também permitem que pessoas que têm ou já tiveram câncer de mama criem uma rede de troca de experiências, informações e apoio. É o caso do Mamatch!, que ainda reúne médicos e ONGs. O app foi lançado pela FEMAMA (Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama) e funciona como um aplicativo de relacionamento.

O usuário pode procurar e se conectar – ou dar um “match” – com pacientes, familiares, ONGs e pessoas envolvidas no enfrentamento da doença. Além disso, é possível tirar dúvidas com um atendente virtual da FEMAMA, encontrar a ONG mais próxima para obter apoio e receber notificações com novidades sobre o câncer, direitos e formas de se engajar com a causa. 

Outras iniciativas também ajudam na questão do apoio psicológico e da autoestima e até com questões práticas, como a capacitação de profissionais e doação de exames. A Unaccam, por exemplo, é uma Associação que oferece cursos de capacitação para voluntários para profissionais da saúde, incentivando o diagnóstico precoce do câncer de mama.

Já a ONG Américas Amigas atua com a doação de equipamentos e oferece exames de detecção e diagnóstico de câncer de mama gratuitos em regiões onde há dificuldade de acesso. 

O Banco de Lenços é uma ação do Instituto Quimioterapia e Beleza que arrecada doações para entregar lenços e despertar a autoestima de pacientes em tratamento de câncer. A ONG Cabelegria atua na mesma linha, recebendo doações de cabelos e os transformando em perucas para crianças e mulheres diagnosticadas com doenças e tratamentos que causam a queda dos cabelos.

Saiba+: Outubro Rosa: tem como prevenir o câncer de mama?

Saiba+: Outubro Rosa: autoconhecimento e detecção precoce têm tudo a ver

Como posso ajudar quem está enfrentando o câncer de mama?

Vanessa com a avó, Janete, em seu casamento. Foto: Arquivo Pessoal

Contar com pessoas próximas no dia a dia também é fundamental durante o tratamento e, às vezes, ter uma companhia pode fazer toda a diferença, como no caso da Vanessa. “Tive todo tipo de ajuda. Amigos e alunos iam na minha casa me visitar, dar força e apoio. Na época não tinha ninguém que eu conhecesse que tivesse passado pelo mesmo caso. Então, eu enfrentei esse momento da melhor maneira possível. Estando com pessoas que amo, indo nas consultas com minha tia, meu noivo e minha mãe”, conta.

Segundo a organização internacional de luta contra o câncer de mama Susan G. Komen, o apoio da família, amigos e até colegas de trabalho pode melhorar a qualidade de vida de mulheres que receberam o diagnóstico. De acordo com a ONG, existem três tipo de apoio ou suporte: informativo, emocional e prático. 

Suporte Informativo

Descubra tudo o que puder sobre o câncer de mama. Quanto mais você souber, mais poderá ajudar: 

  • Aprenda termos médicos comuns sobre o câncer de mama;
  • Aprenda sobre opções de tratamento;
  • Faça uma lista de dúvidas que você pode perguntar ao médico;
  • Reúna as informações e compartilhe com a pessoa que você está ajudando.

Suporte emocional

Um diagnóstico de câncer de mama pode desencadear emoções como choque, medo, negação, tristeza e raiva. A rede de apoio é muito importante para ajudar a lidar com esse impacto e algumas atitudes simples podem dar o suporte emocional necessário:

  • Esteja preparado para ouvir;
  • Deixe a pessoa expressar seus sentimentos;
  • Dê um abraço;
  • Diga “eu te amo”.

Suporte prático

Além dos apoios informativo e emocional, você pode ajudar de uma maneira mais prática no dia a dia. Se ofereça para:

  • Cozinhar ou fazer a limpeza da casa;
  • Dar uma carona até o consultório médico;
  • Cuidar das crianças, se for o caso;
  • Buscar prescrições médicas e/ou remédios;
  • Fazer compras;
  • Ajudar nas tarefas cotidianas, como lavar o carro ou passear com o cachorro.

Durante o Outubro Rosa, continue acompanhando nossa série de matérias especiais para descobrir mais sobre você mesma e sobre como o avanço da tecnologia pode ajudar na detecção do câncer de mama, assim como na prevenção, no rastreamento e no tratamento.