A vida pode ser ousada e você também

Conheça a história da Joelma, uma mulher que uniu toda sua força e ousadia para começar um negócio do zero aos 50 anos de idade: uma oficina mecânica voltada para o atendimento feminino

• por
Foto: Pedro Arsky

Imagine-se no seguinte cenário: 50 anos de idade, participando do programa de demissão voluntária após 30 anos trabalhando em um banco. O que você faria? Joelma Rodrigues colocou toda a sua ousadia pra jogo e decidiu que abriria uma oficina mecânica voltada para atender mulheres. Conheça agora a história que vamos contar neste Dia da Mulher!

Um novo começo na carreira

Você pode até pensar que a motivação da Joelma foi gostar muito da parte mecânica e de conserto de seus carros, mas não, foi justamente o contrário. “Quando tinha algum problema no meu carro, eu só dava a chave pro meu marido levar, nunca gostei do ambiente de mecânica”, revela. No entanto, tudo mudou quando ela viu que não era a única mulher com esse sentimento e, ao pesquisar, descobriu que 52% dos condutores da sua região eram mulheres. Ou seja, existia ali uma oportunidade de mudar esse cenário. Ela decidiu, então, que abriria uma oficina acolhedora, transparente, em que qualquer pessoa se sentisse confortável por lá, o lugar que ela sempre procurou, mas nunca tinha encontrado. 

Leia+: Mudança de vida radical

Leia+: Amor pelo Carro: a história de um roubo

Plot twist que chama?

Um tempo depois de inaugurar a Divas Car, ela confessa que hoje é apaixonada por carros, adora ver todos que entram e saem de sua oficina e agora é o seu marido que lhe entrega a chave quando precisa de revisão ou algum reparo! “Vejo isso acontecendo entre as clientes também! Muitas depois que trouxeram os próprios carros, passaram a vir com o do marido, do pai, dos filhos”, conta.

E não é só isso, Joelma percebe que a oficina acabou trazendo empoderamento e liberdade para as mulheres. “Muitas nunca tiveram que se preocupar com isso. Então eu percebo que a oficina traz mais autonomia e menos a sensação de que elas dependem de um homem para resolver esse tipo de coisa”, revela Joelma com bastante orgulho.

Quem vê close não vê corre

Como você deve imaginar, o fato de ser mulher fez com que diferentes pessoas subestimassem Joelma até hoje. “No momento em que comprei o ponto, eu ouvi que não ia durar um ano”, conta já rindo da situação, quatro anos depois. Nesse período, ela já foi a única mulher em eventos do segmento, viu clientes mudando de ideia ao conhecer sua oficina e ouviu as mais diferentes piadinhas.

Por sorte, a nossa ousada não liga: “mecânica automotiva é um ambiente masculino e por mim tudo bem. Quem às vezes não aceita é algum homem que vê e fala alguma coisa, mas eu digo pra você: eu não me incomodo com essa opinião”.

Afinal, apesar do medo que teve no início, pra ela é muito claro: lugar de mulher é onde ela quiser, fazendo o que ela quiser e sem ouvir as pessoas. “Se eu tivesse escutado lá atrás que eu não era capaz, que eu não ia conseguir, eu não estaria hoje aqui”, confessa.

Uma história de muito amor que está só começando

Ao conhecer a Divas Car, algumas coisas chamam a atenção: uma coleção de miniaturas de carro e até uma de figuras de fadas que ficam expostas logo na entrada. E com alguns minutos de conversa com a Joelma, você percebe mais uma: a de histórias e relatos que enchem os olhos. 

Talvez as coleções sejam uma forma de contabilizar cada pedacinho de coragem que é preciso para empreender do zero aos 50 ou cada momento de gratificação por ter realizado tudo isso. Talvez esse amor por fadas seja por pura inspiração, afinal, na falta de um lugar que a acolhesse, ela criou um que hoje empodera e dá autonomia a tantas mulheres. Não sabemos ao certo, mas há uma certa magia em contar essa história.

E pra você, o que te faz ousada?

Trouxemos a história da Joelma, uma mulher que “só trabalha muito”, como ela diz, mas que faz toda a diferença na vida de tantas outras. Você pode acompanhar mais pelo nosso canal no YouTube e redes sociais ao longo da semana. Interaja com a gente contando sobre o que te faz ser ousada ou sobre as mulheres que você admira em nossos canais — estamos ansiosos para ouvir! #AOusadaChegou