Diminuir o consumo de combustível passa pela mudança de hábito

Manutenção em dia, pneus calibrados e combustível de qualidade: cuidar do carro é fundamental para que ele beba pouco

• por

Que o combustível está caro já não é novidade, né? O problema é que está cada vez mais salgado abastecer e, por isso, já passou da hora de repensar a forma como dirigimos. E hoje você vai conferir dicas importantes para poupar cada gota de gasolina, etanol ou diesel. Bora nessa?

De acordo com os dados coletados pela Agência Nacional do Petróleo (ANP), o aumento no preço da gasolina já chega a 32% no acumulado do ano e aos 40% quando comparado a outubro de 2020. Em termos práticos, isso quer dizer que a gasolina já está passando de R$ 7,00 em muitos Estados, o que faz o nosso sagrado dinheirinho escoar ralo abaixo.

Saiba +: Com o carro autônomo, haverá motorista no futuro?

Saiba +: O futuro do carro e da mobilidade será compartilhado e autônomo

Na cidade de São Paulo, por exemplo, a cotação média do valor da gasolina em outubro chegou a R$ 5,80 e o preço máximo do período foi de R$ 6,79. Entretanto, existem Estados, como o Acre, que apresentaram preço médio de R$ 7,13 por litro de gasolina.

Com o combustível derivado de petróleo a R$ 5,80, são necessários R$ 290 para encher o tanque de um carro popular (50 litros). Há um ano, com a gasolina a R$ 4,59, o mesmo tanque poderia ser totalmente abastecido com R$ 229,50, uma diferença de R$ 60,50.

A saída para tamanho desperdício de dinheiro seria ter um carro elétrico. Como isso ainda não é realidade para grande parte dos brasileiros, e muito poucos são sócios de postos de combustível, o melhor que temos a fazer é seguir as orientações dos especialistas. Confira abaixo, seu bolso agradecerá! ;D

 

Utilize combustível de qualidade

Sabia que um combustível de má qualidade pode influenciar muito no consumo? O etanol e a gasolina podem sofrer adulteração com água ou solvente, e é justamente neste ponto que o carro passa a consumir muito mais que o normal.

Quando o etanol recebe uma quantidade de água maior do que a ideal, o veículo começa a falhar e, em carros que possuem módulo de injeção eletrônica, o “cérebro” do carro entende que é preciso injetar mais combustível no cilindro, o que, como consequência, leva ao aumento de consumo.

De acordo com reparador Tenório Júnior, da JR Automotiva, outro tipo muito comum de adulteração é quando a gasolina tem excesso de etanol. “A pessoa paga por gasolina, mas está levando álcool, o que dá uma autonomia menor para o veículo”, afirma o profissional.

E o comportamento do motorista é determinante, não só na hora de escolher uma gasolina/etanol de boa procedência, mas também na forma de dirigir: ao perceber que o carro não está rendendo, o condutor acaba atolando o pé no acelerador para compensar a falta de potência que aquele combustível de má qualidade provoca, elevando o consumo.

Além disso, uma gasolina ou etanol com solvente podem contaminar o motor e resultar em borra. Assim, abastecer com combustível de má qualidade pode trazer prejuízos a curto prazo, como voltar mais vezes ao posto e, a longo prazo, com problemas sérios no propulsor. Para evitar estes problemas, abasteça sempre no posto de sua confiança e desconfie de preços muito baixos.

 

Manutenção em dia

Toda máquina precisa de cuidados e com o automóvel não é diferente. Para extrair o máximo em eficiência energética, o conjunto motriz precisa estar funcionando perfeitamente. “A manutenção preventiva auxilia a diminuir o consumo de combustível, porque este tipo de cuidado pode encontrar um defeito oculto. Fazer uma revisão periódica ajuda a detectar, por exemplo, falha em algum bico injetor, o que resulta em aumento de consumo de combustível. Somente na oficina mecânica é possível verificar a vazão dos bicos, que podem estar injetando mais ou menos líquido que o ideal”, explica Tenório Jr.

Caso seu carro fique parado no meio do caminho por conta de algum problema mecânico, a Youse te ajuda com a Assistência Autosocorro Após Pane do Seguro Auto, mas não esqueça de sempre levar o veículo à sua oficina de confiança para evitar gastos desnecessários com combustível.

Problemas no bico injetor podem alterar o consumo

Na pressão certa

E por falar em itens que devem estar sempre em ordem, os pneus entram nessa lista, pois devem estar sempre com a pressão indicada pela montadora. Essa informação é bem fácil de encontrar. Basta olhar no manual do proprietário, na lateral da porta do motorista ou até na tampa do bocal do combustível.

Manter os pneus calibrados é fundamental porque eles são a única parte do carro que fica em contato com o solo, e são eles que garantem a aderência. Além de proporcionar segurança, a aderência é a responsável por exigir mais força do carro. Quando os pneus estão murchos, mais força exigem do motor. Desta maneira, andar com a calibragem correta também ajuda a poupar alguns litros de gasolina no final do mês. Lembre-se: calibre os pneus assim que sair de casa, pois a pressão indicada pela montadora é calculada com os pneus frios.

Em caso de pneu furado, a única solução é fazer a substituição. Para isso, não esqueça de calibrar o estepe. E para que você fique sempre numa boa, a Youse oferece o serviço Troca de Pneus. Não é uma maravilha? 🙂

 

Conheça o seu carro

Não adianta tentar economizar combustível sem, antes, ter noção de quanto o carro consome em trecho urbano e rodoviário. Registrar as médias de consumo é fundamental para detectar, inclusive, se o combustível está ou não adulterado. Portanto, acompanhe o consumo através do computador de bordo e zere a medição toda vez que encher o tanque.

Caso o seu carro não tenha computador de bordo, não se desespere. “A conta é super simples: abasteça completamente o tanque e zere o hodômetro. No abastecimento seguinte, complete o tanque novamente e anote quantos litros entraram. Aí, basta dividir a quantidade de quilômetros rodados pela quantidade de litros. Pronto, assim você descobre quantos quilômetros/litro o seu carro rodou no período”, indica o reparador. Exemplo: você percorreu 300 km e abasteceu 30 litros. Dividindo 300/30 temos uma média de 10 km/l.

 

Antecipe-se

Outra forma de frequentar menos o posto é utilizar o freio-motor. E essa é apenas uma questão de adaptar o modo de dirigir. Veja o exemplo do reparador: “quando o carro está chegando a um semáforo fechado, o melhor é já tirar o pé do acelerador e deixar o carro se aproximar do ponto de parada, mas mantendo sempre o carro engatado e, de preferência, reduzindo marchas. Nessa situação, o módulo — aquele “cérebro” do motor — entende que o carro está utilizando o freio-motor, desligando os bicos injetores, pois durante esta frenagem o propulsor não necessita de combustão, ou seja, dispensa totalmente a queima de combustível. Repetir esse processo economiza muito combustível”, argumenta.

 

Arzinho com moderação

Quem tem, usa. Principalmente em época de calor. Estamos falando do ar-condicionado. Apesar de não consumir combustível de forma direta, o sistema de refrigeração da cabine puxa bastante energia do motor e isso, sim, aumenta o consumo.

Portanto, escolha bem os trechos e por quanto tempo utilizará o ar-condicionado. Na cidade, por exemplo, é melhor rodar com os vidros abertos. Já na estrada, onde o coeficiente de penetração precisa ser o mais eficiente possível para transpor o arrasto do vento, é melhor ligar o ar-condicionado e fechar os vidros para melhorar a aerodinâmica do veículo. #ficaadica

 

Menos peso, menor consumo

Aquela pessoa que tem o hábito de deixar roupa, ferramentas, garrafas d’água ou mochilas no carro contribui para elevar o consumo. Isso acontece porque, assim como nós, quanto mais peso o carro leva, mais força ele precisa fazer.

Imagine se você andasse o tempo todo com uma mochila de 20 kg. Precisaria de mais energia para percorrer a mesma distância sem o peso extra, certo? Com o carro é a mesma coisa. #fiquedeolho e carregue somente o necessário.

 

Programe o abastecimento

Lembra que falamos, no começo da reportagem, sobre o “cérebro” do carro? Pois bem, o módulo demora um período para identificar o tipo de combustível presente no tanque nos carros flex. Ou seja, a central de inteligência precisa que o carro rode, em média, ao menos cinco quilômetros para determinar a proporção correta de gasolina e etanol. E aqui a dica é abastecer bem antes de chegar em casa, onde o carro ficará parado. “Os parâmetros do motor para gasolina e etanol são diferentes e, por isso, o módulo precisa de um tempo para se ajustar. Se a pessoa desliga o carro antes dessa identificação, pode ser que o carro fique gastando muito até encontrar a mistura correta”, diz Tenório Jr.

 

Pé leve

Essa dica ficou por último porque é a mais óbvia, mas vale a pena ressaltar: quem quer economizar combustível precisa ter o pé leve. Acelerações progressivas e trocas  de marchas em rotações medianas (cerca de 3.000 rpm) ajudam a manter um baixo consumo. 

De acordo com levantamento do site de notícias da Globo, o G1, o Estado de São Paulo já registrou 19.500 casos de pane seca no período de janeiro a setembro deste ano, ou seja, tem muito carro parando na estrada por falta de combustível. Por isso, fique de olho: o artigo 180 do Código de Trânsito Brasileiro determina que ficar parado na via por falta de combustível gera multa de R$ 130,16 e 4 pontos na carteira.

Se o tanque ficar vazio, conte com a Assistência Pane Seca da Youse. Com ela, você pode ficar numa boa, pois sabe que tem socorro garantido a qualquer momento. A gente reboca o carro e o leva até o posto mais próximo para abastecer. Aí fica fácil, hein?! 😀