Quem cuida de um atleta?

Técnico, médico, nutricionista: veja qual é o papel de cada um deles no desenvolvimento de um atleta profissional

• por
Male sprinter ready for running.

No dia 10 de fevereiro é comemorado o Dia do Atleta Profissional e milhares de pessoas podem comemorar esse dia no Brasil. Segundo levantamento de 2021, que reuniu dados da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), Statista e Ernest&Young, o Brasil possui mais de 360 mil atletas profissionais dedicados ao futebol. Esses atletas estão espalhados em 7.020 clubes, dentre os quais existem 874 clubes profissionais. O recorte de um esporte já nos dá a dimensão que, quando reunimos todos os esportes, é gente à beça. 😉

Mas o número de profissionais que vivem do esporte é incalculável: educadores físicos, nutrólogos, nutricionistas, fisioterapeutas, ortopedistas e por aí vai. E como nenhum atleta conquista uma medalha sozinho, é sobre esses personagens fundamentais que vamos falar hoje. Afinal, todo campeão enfrenta batalhas duríssimas com determinação, ousadia, coragem e perseverança. Mas tudo isso só é possível porque existe muito suporte nos bastidores.

 

Saiba +: Seu carro elétrico em boas mãos

Saiba +: Os 10 principais lançamentos de 2022

 

Especialistas em vencer

Atualmente, quanto maior for a quantidade de profissionais para auxiliar um atleta, melhor. Segundo o professor da Universidade Federal do Mato Grosso, Dr. Fabrício Voltarelli, com mais especialistas e conhecimento, maiores são as chances que um atleta tem de obter êxito. “Não há espaço para amadores. Destacam-se diversos especialistas, entre eles o técnico, o preparador físico, fisioterapeuta, nutricionista e o médico, que pode ser um ortopedista. Se recuperar de uma lesão da forma correta é tão importante quanto os treinamentos físicos”, explica o professor universitário.

“Hoje não tem como chegar ao auge da carreira esportiva sem ter pessoas competentes ao seu lado. O atleta ele é uma maquina que precisa ser ajustada, regulada e muitas vezes consertada para ter a melhor perfumasse e isso ele não consegue sozinho”, afirma Julio Lirio, ex-jogador de futebol e vice-presidente da Associação de Garantia ao Atleta Profissional do Rio Grande do Sul.

Abaixo, reunimos as principais características de cada um desses profissionais. #FiqueDeOlho

  • Médico do esporte: André Macedo, personal trainer da rede Bodytech e treinador de alguns atletas renomados, como Demian Maia (UFC) e as gêmeas do nado sincronizado Bia e Branca, comenta que o médico do esporte ajuda, em termos gerais, a montar um treino de acordo com o limite do corpo do atleta. “Através de exames específicos e testes, ele ajudará o metabolismo do atleta a trabalhar harmoniosamente e em seu pico máximo”, explicou o profissional.

Mauro Célio do Carmo, também personal trainer, complementa que o médico é “essencial para ajudar a orientar o atleta e todos à sua volta, pois ele, junto com os outros especialistas, poderão dar o direcionamento para obter a melhor performance”.

Conforme o Dr. Fabrício Voltarelli explica, a responsabilidade do médico pode ir além das quatro linhas, como evitar o doping. “Os médicos são responsáveis pelos diversos tipos de tratamentos medicamentosos que, porventura, sejam necessários — seja uma simples gripe ou um tratamento de inflamações severas. Além disso, os médicos são importantes na rigidez e controle no uso de remédios, pois a má utilização pode incorrer em doping”.

 

  • Preparador físico: É inegável que o desenvolvimento físico é um dos pontos fundamentais para um atleta. “A função de um preparador físico é, de acordo com o esporte, elaborar um planejamento para o atleta estar na melhor forma física e dentro das exigências da modalidade. Assim, ele poderá exercer atividades como explosão, força máxima, resistência, elasticidade e equilíbrio”, alega Macedo.

E como um atleta ainda não é uma máquina, mas um ser humano como outro qualquer, a pausa e o descanso também devem ser levados em conta pelo preparador físico. “O preparador físico é o responsável pelo desenvolvimento e manutenção do condicionamento físico dos atletas, buscando obter de cada um deles seu máximo em períodos específicos, seja na fase preparatória (pré-temporada, pré ciclo olímpico, etc) ou durante as competições. Seu papel é também fundamental no período de pausa das competições, pois a volta do atleta às atividades requer bastante atenção e cuidado, para que se possa evitar lesões que poderão prejudicar toda uma temporada”, explica o professor Voltarelli.

 

  • Nutricionista: Adianta colocar combustível ruim em uma Ferrari? Pelo contrário, é capaz de a Ferrari nem sair do lugar. O mesmo acontece com o nosso corpo. E um atleta de alto nível com uma dieta errada pode ter graves consequências. Por isso os nutricionistas têm um papel relevante na carreira de um atleta: “ele calcula a ingestão e o déficit calórico, a porcentagem de proteínas, carboidratos e gorduras para o atleta ter o melhor rendimento possível nos treinos e na competição. É assim que se mantém o equilíbrio energético”, exemplifica Macedo.

 

  • Fisioterapeuta: No esporte, toda expectativa e apreensão de um evento nos fazem pensar, principalmente enquanto torcedores, em como está a preparação do atleta e para a competição. Entretanto, o pós-jogo é de suma importância: “recuperar e traçar métodos preventivos para o atleta suportar altas cargas de estresse neuromuscular que o treinamento exige é função do fisioterapeuta”, afirma o personal trainer Macedo.

 

  • Psicólogo: Não são só os músculos que ganham uma competição. Força sem inteligência é como movimento sem direção. Por isso, cuidar da parte psicológica do atleta é tão fundamental quanto cuidar da parte física. É através dela que, segundo Macedo, se consegue eliminar possíveis travas psicológicas: “o psicólogo trabalha a saúde mental do atleta, eliminando possíveis gatilhos negativos que fazem o competidor não obter sucesso na competição”, afirma o personal trainer.

 

  • Técnico: Lembra da frase “de médico e louco todo mundo tem um pouco”? O mesmo pode servir para técnico, né? A maioria tem um palpite de como o técnico deveria escalar um time, quais jogadores poderiam substituir e, quando o time perde, o primeiro a entrar na berlinda é o técnico. Mas a verdade é que a responsabilidade do técnico, além de conhecer profundamente o esporte e seus comandados, é saber gerenciar toda a equipe. E isso envolve muita gente. “Diferentemente de antigamente, hoje é preciso ter formação por meio de cursos específicos de chancelas nacional e internacional. O técnico é o responsável pela organização técnico-tática da equipe ou do atleta em si (no caso dos esportes individuais)”, argumenta Voltarelli.

De acordo com Manfrinati, “o técnico ocupa uma posição central no direcionamento aos objetivos e deve possuir conhecimentos profundos sobre o esporte como um todo (regras, aspectos táticos, físicos, técnicos e psicológicos), para promover a boa articulação com outros profissionais”.

 

  • Gestores de carreira: como o esporte de alto rendimento envolve muitos investimentos, salários milionários e organizações empresariais, os gestores de carreira e de clubes vêm ganhando notoriedade nos últimos tempos. A moda agora é o clube-empresa, no qual uma empresa compra grande parte das ações de um clube e passa a administrá-lo para que dê lucro. “A atuação desses profissionais se dá por meio da organização financeira e de bastidores, sendo de extrema importância para a ‘saúde financeira’ da equipe. Uma equipe bem gerida possui chances maiores de sucesso, uma vez que fatores relevantes, tais como salário em dia, infraestrutura e logística, também podem impactar de forma negativa ou positiva sobre a ‘ponta do iceberg’, que é o desempenho de uma determinada equipe ou atleta”, esclarece Voltarelli.

Os profissionais que atuam nos bastidores do esporte são tão fundamentais quanto os próprios atletas. E, apesar de não aparecerem com tanta frequência, é o seu zelo que proporciona mais segurança para os atletas quebrarem recordes, vencerem partidas e chegarem ainda mais longe nos limites da mente e corpo humanos. E é nos cuidados por trás das câmeras que a Youse também está sempre ligada em você e monta seguros que tem tudo a ver com o seu estilo de vida. Se precisar de uma mãozinha no treino, temos a Orientação Fitness. Caso queira aprimorar ainda mais seus resultados, a Assistência Orientação Nutricional pode ser uma mão na roda. Tudo fica mais fácil quando a cabeça está no lugar, certo? Para isso, é só buscar pela nossa Orientação Psicológica e #ficar numa boa. Aproveite o verão com Youse.