Saiba quais são os impostos na hora de comprar seu possante

Entenda tim tim por tim tim quais são os impostos que impactam no preço dos carros novos e usados

• por
Foto: GettyImages

O ano novo chegou por aqui e aquela famosa lista de metas não pode ficar de fora, não é mesmo? Entre os diversos sonhos a serem colocados em prática, um deles é a felicidade de comprar um carro. Mas antes de sair em busca do seu novo companheiro de aventuras, vale a pena conhecer os impostos cobrados sobre os veículos novos e usados. Assim, você consegue decidir numa boa qual dos dois tipos é melhor para o seu bolso. Bora lá?

Saiba+: IPVA 2022: por que ficou mais caro?

Saiba+: Como organizar os gastos com o carro no começo do ano?

Quer pagar quanto?

Para se ter uma ideia, os impostos no Brasil podem representar até 36,53% do preço de um veículos 1.0 e até 43% do valor total de um 2.0, foi o que apontou um levantamento da consultoria BDO. Portanto, se você comprar um carro de R$61.090, por exemplo, o valor sem impostos seria de R$38.773. Ou seja,  são R$22.317 só para o leão! Salgado, né? :/

Decifrando as siglas 

Quando a gente vai comprar um possante na concessionária, o preço do veículo já está com os impostos embutidos. São eles: ICMS, IPI, COFINS, PIS, Licenciamento e DPVAT. Ficou assustado com tantas siglas? Relaxa… a gente vai desvendar para vocês esse idioma próprio das taxas e impostos. 

Vamos começar com o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). Este é um imposto estadual, isso quer dizer que pode variar de acordo com cada estado. “O valor é cobrado em vários momentos do processo de produção do veículo, inclusive na manipulação das matérias-primas para a fabricação do carro”, explica Milad Kalume, diretor de desenvolvimento de negócios da JATO do Brasil. Além disso, o ICMS também faz parte do preço final do veículo, aparecendo junto à nota fiscal de compra do automóvel. 

Já o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) é federal, ou seja, é o mesmo em todos os estados do Brasil e é aplicado também no valor final do automóvel. “Atualmente, o valor do IPI varia conforme as características técnicas do veículo, como potência e combustível, e pode oscilar entre 6% e 25%”, conta Kalume. 

Ainda dentro dos impostos para carros novos, a gente apresenta o PIS (Programa de Integração Social) e o Cofins (Contribuição para Financiamento). “Ambos são cobrados sobre o valor real do veículo presente na nota fiscal, ou seja, antes do acréscimo das outras taxas”, afirma o diretor de desenvolvimento de negócio. O PIS é destinado a pagamento de benefícios salariais e também para trabalhadores que recebem o salário mínimo. Já o Cofins é usado para financiar o INSS, aposentadoria, pensão etc. De acordo com Kalume, no setor automotivo os dois impostos são cobrados juntos e giram em torno de 11,6%.

Ué, mas cadê o IPVA? Ele é mesmo o mais famosinho de todos, mas sabia que em alguns estados, ele é isento para carro novo? #chocado

Para saber se o seu estado está nesta maravilhosa lista de isenção basta consultar o Detran da região em que irá comprar o veículo. E se quiser saber todos os detalhes sobre IPVA 2021 dá uma olhada no texto que a gente preparou! E por último, mas não menos importante, temos o Licenciamento e DPVAT (Danos Pessoais por Veículos Automotores Terrestres) que são os impostos pagos no momento em que você tira o carro da loja. 

Isenção de impostos

A boa notícia é que se você for uma pessoa com deficiência (PCD e PNE), saiba que a Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 5149/20, que prorroga a isenção do IPI até 31 de dezembro de 2026. Para aderir ao benefício da isenção é necessário apresentar laudos e exames médicos. Além disso, o valor máximo do carro deve ser de R$ 200 mil. #inclusão

E os carros nacionais usados?

Bem, estes automóveis não pagam o IPI, já que o imposto é embutido somente quando o veículo, ou qualquer outro tipo de produto, está saindo da fábrica, zeradinho. Já o PIS, Cofins e ICMS seguem sendo cobrados normalmente. “No caso do ICMS, o valor é de 1,8% sobre o valor do veículo. PIS e Cofins seguem iguais ao veículo novo: 11,6%”, afirma Neto. 

#Partiu, importados?

Se você é apaixonado pela engenharia gringa prepare o bolso, pois o IPI fica mais caro nesta modalidade. Isto porque a maioria dos carros de fora não são fabricados na versão flex, e veículos movidos apenas a gasolina possuem um valor maior do imposto.

Já o PIS, Cofins e ICMS seguem os mesmos valores de um carro nacional novo, mas possuem uma base de cobrança diferenciada. Por isso, quando a opção for um importado, consulte com o seu vendedor todas as taxas para não ser pego de surpresa. #FicaDica

Outra dica é saber de onde vem o seu possante. Isso porque “o Imposto de Importação pode variar de acordo com o país de origem do carro. Automóveis do Mercosul, por exemplo, têm isenção, mas os de outros lugares, o imposto pode chegar até 35%”, esclarece o diretor. E se você optar por um importado usado, mas vendido por uma loja de veículos, aí, os impostos são os mesmos de um nacional usado. 

 

Agora ficou mais fácil fazer as contas e  colocar tudo na ponta do lápis. Assim dá para realizar o sonho do carro novo com o pé no chão, não é mesmo? E quem faz as contas sabe que a melhor coisa é já sair da concessionária com um Seguro Auto Youse. E dá pra fechar o seu na loja mesmo, afinal, na Youse é tudo 100% digital. Basta acessar o app, escolher quais serviços você quer e pronto! Seu possante estará protegido. 😉